Home / Notícias / Geral / Estudantes criam madeira com casca de mandioca

Estudantes criam madeira com casca de mandioca

Foi através de um programa de iniciação científica, desenvolvido no Colégio Sesi Araucária, que três estudantes de Araucária criaram um projeto inovador e sustentável. Apesar de já terem concluído o ensino médio, Amanda Bueno Coutinho, Ana Vitória Oliveira de Lara e Rhuam Barbosa Lopes, todos com 18 anos, continuaram com as pesquisas, e através da participação em feiras tecnológicas, estão divulgando o “Wood Hero”, que é uma madeira aglomerada, produzida a partir de um material orgânico, nesse caso, a casca da mandioca.

O projeto foi apresentado recentemente na Ficiências – Feira de Inovação das Ciências e Engenharias, e selecionado para a Febrace – Feira Brasileira de Ciências e Tecnologias, mas por questões financeiras, os estudantes não conseguiram participar. Eles também estiveram na feira Inova Paraná, que aconteceu na semana passada. O trabalho dos estudantes foi orientado pelas professoras Ana Caroline Pscheidt e Talita Cristina Politta, desde sua criação, ainda no ensino médio.

Vantagens são inúmeras

Entre os benefícios da madeira sustentável estão a maior impermeabilidade e maior resistência contra o fogo, se comparado com uma madeira convencional; resistência a tração (pregos e parafusos); resistência a pragas e traças; não utiliza árvores para sua composição; utiliza apenas a casca da mandioca e não a parte usada para alimentação, pois a casca não tem nenhuma finalidade, não é utilizada nem mesmo para adubo por ser muito ácida e não é sazonal. Portanto, não faltaria matéria prima. Também tem o melhor custo benefício em relação ao aglomerado convencional e adere muito bem a acabamentos como laminados e tintas.

Os alunos contam que no protótipo inicial não havia tanta resistência como a que se tem hoje, e antes eles utilizavam muito mais polímero, o que tornava o custo de produção maior. No decorrer do projeto, eles encontraram algumas dificuldades, como a criação de uma chapa grande a partir da madeira feita com casca de mandioca, devido à falta de maquinário necessário para a produção em grande escala, mas depois acabaram conseguindo. Eles também se surpreenderam com o processo que ocorre quando a madeira entra em contato com a água, porque ela não a absorve imediatamente, como acontece no aglomerado convencional. Ao invés da absorção, ela entra em processo de evaporação.

Texto: Maurenn Bernardo

Foto: divulgação

Publicado na edição 1187 – 31/10/2019

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*