Foco

set 5, 2019

Dentre os vários instrumentos de participação popular instituídos pela legislação brasileira estão as audiências públicas. Anualmente, apenas em Araucária, são vários os encontros desse tipo em que a população é chamada a emitir suas opiniões sobre os mais variados assuntos. No entanto, infelizmente, na maioria das vezes ela não se faz presente.

Justamente por isso sempre que uma audiência pública consegue atrair um número razoável de participantes ela já deve ser considerada exitosa. E é este o caso do encontro promovido pela Câmara de Vereadores na última segunda-feira, 2 de setembro, para discutir o contrato entre Prefeitura e Sanepar para exploração dos serviços de água e esgoto em nossa cidade.
Para os padrões araucarienses a audiência de segunda foi espetacular em termos de público. Boa parte das cadeiras do plenário estava ocupada.

Havia rostos diferentes daqueles que normalmente vemos em encontros do tipo.

Se, por um lado, a audiência de segunda foi boa em termos de público, ainda precisamos melhorar a qualidade desses debates, seja assuntando previamente o objetivo da reunião, as possibilidades de cada uma das partes envolvidas e assim por diante.

Quando isso não é feito, o que vemos são esses encontros se tornarem meros momentos de desabafo daqueles cidadãos que já estão decepcionados com muita coisa na galáxia, o que fazem com que aproveitem essas oportunidades para reclamar de tudo e de todos; ou em momentos de oportunismo político de uma minoria. E isso impede que essas audiências alcancem o resultado esperado, seja em aprendizado sobre o tema que deveria ser discutido ou mesmo para solução do problema que motivou o chamamento público, o que é uma grande pena!

Boa leitura!

Publicado na edição 1179 – 05/09/2019