ter. set 22nd, 2020

Na manhã desta terça feira 06/02/2018, o Conselho Municipal de Educação, em reunião extraordinária, reuniu seus conselheiros a portas fechadas para colocar em pauta um projeto que sucateia e precariza a educação das séries iniciais: o aumento de alunos nas turmas de 1º, 2º e 3º anos.O conselho é composto por representantes da Secretaria Municipal da Educação, da comunidade, dos funcionários públicos, de escolas particulares e uma representante do Conselho Municipal dos Direitos das Crianças e Adolescentes, totalizando 11 conselheiros.

A alteração aumenta o número de alunos da seguinte forma: 1º e 2º ano passam de 20 a 23 alunos por turma e terceiro ano passa de 25 a 28. Isso justamente na fase da alfabetização.

O SISMMAR esteve presente, e apesar da votação ter ocorrido a portas fechadas, conseguimos adentrar ao local.Entendemos que o governo e a Secretaria de Educação tencionarem essa votação em caráter “secreto” a portas fechadas, em pleno período de férias agrava ainda mais o quadro dos ataques à educação. Uma proposta que prejudica estudantes partindo da própria instituição que deveria representá-los é uma vergonha para o município. Sob protesto dos professores que foram até o local, a proposta foi aprovada por 5 votos a 4.

Infelizmentea conselheira eleita em assembleia para ser representante, e que era a presidente do Conselho, Roseane Araújo, não compareceu à reunião. Seu voto garantiria outro resultado, pois em caso de empate, tem o poder de decisão – voto de minerva. A servidora alegou problemas pessoais.

O aumento de alunos por turma representa um grande retrocesso à educação. A fase em que se encontram nessa etapa de ensino é fundamental para o desenvolvimento da aprendizagem ao longo de todos os anos da vida escolar. É nessa fase que se apropriam da leitura, escrita, das operações matemáticas. Muitos alunos apresentam dificuldades e precisam de atenção especial, ou seja: fica cada vez mais difícil os professores atenderem às particularidades de cada aluno.

Votaram contra o aumento: Verieli Della Justina (Sismmar), Maria Terezinha Piva e Camila Fernanda Azevedo (Servidoras) e Edison Roberto da Silva (Pais).

Votaram a favor: Andréa Voronkoff, Claudinéia Maria VishiAvanzini, Roberto Hideo Seima (SMED); Vanessa Evangelista Moreira; Laís Souza Rufatto (Pais).

 

Publicado na edição 1099- 09/02/2018

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.