Compartilhe esta notícia

Quando iniciou no futebol, com apenas 5 anos de idade, o jovem Felipe Oliveira de Moura, hoje com 16 anos, já sabia muito bem o que queria da vida: ser um jogador profissional. Onze anos se passaram e ele conseguiu realizar seu sonho. Felipe acaba de assinar seu primeiro contrato profissional com o Paraná Clube, um dos principais clubes de futebol do Brasil. Por enquanto, o desejo de pisar em campo como jogador profissional terá que aguardar mais um pouco, já que os treinos estão suspensos devido à pandemia do coronavírus. “Estou muito feliz, esse contrato era meu sonho. Não vejo a hora de defender o tricolor, agora como profissional. Por ora, os treinos só acontecem por vídeo chamadas e os campeonatos ainda estão parados, mas a ansiedade está à mil”, comemorou.

O zagueiro Felipe está no Paraná Clube desde 2016, ele foi o único selecionado em uma peneira, que teve a participação de 65 jovens. Aprovado, ele foi chamado para fazer um teste no campo, ficou no time B, que existia na época, onde treinou por cerca de um mês. Foi chamado para integrar o time A, e lá permaneceu por oito meses, sem participar de nenhuma partida em campo, jogava mais no futsal. No final de 2016, o jogador araucariense foi participar de um campeonato em Santa Catarina na categoria Sub-12, e começou a se destacar nas categorias de base do tricolor. Foi evoluindo cada vez mais, subindo de categoria, até chegar ao profissional.

A trajetória de Felipe Moura começou no Projeto Vencer, onde participou da escolinha de futebol por cinco anos, mas antes disso, já fazia pequenos treinos na escolinha do Figa’s. Depois disso, veio o convite para jogar no time do Sesi, e foi lá que o pai de um amigo sugeriu que ele participasse da peneira no Paraná Clube. “Esse incentivo foi muito importante e graças a isso cheguei até aqui”, agradeceu o atleta.

Texto: Maurenn Bernardo

Foto: divulgação

Publicado na edição 1226 – 20/08/2020

Compartilhe esta notícia


close