Home / Notícias / Coronavírus / Juíza acata denúncia contra cliente que se recusou a usar máscara

Juíza acata denúncia contra cliente que se recusou a usar máscara

A juíza Débora Cassiano Redmond, titular da Vara Criminal de Araucária, acatou a denúncia crime oferecida pela Ministério Público contra o empresário Danir Garbossa, cliente que se recusou a usar máscara facial ao entrar no Hipermercado Condor, provocando a discussão que resultou na morte de uma funcionária. O crime ocorreu no último dia 26 de abril e o empresário está preso preventivamente desde aquela data. Pela decisão da magistrada, publicada na terça-feira, 19 de maio, Danir passa a ser réu no processo, e vai responder pelo homicídio de Sandra Maria Aparecida Ribeiro, lesão corporal e por infração de medida sanitária.

Segundo o teor do despacho, “Danir Garbossa adentrou o Hipermercado Condor sem utilizar máscara facial, apesar da existência de Decreto Municipal recomendando seu uso com o fim de impedir a disseminação da pandemia de COVID-19. Por esta razão, acabou abordado pelo fiscal de loja, que prestou orientações sobre o tema, mostrou o referido decreto e ao acusado ofereceu uma máscara, momento em que Danir, que se mostrava alterado, supostamente respondeu de forma desproporcional e agressiva, e ainda desferiu um soco em sua face. O fiscal de loja, então, acionou o segurança Wilhan Pinheiro Soares. Conforme informado, o vigilante Wilhan é profissional devidamente habilitado, com autorização para porte de arma de fogo quando em efetivo exercício”.

Para a juíza, Wilhan agiu em estrito cumprimento do dever legal, já que, trabalhando na condição de vigilante do Hipermercado, detinha a responsabilidade de fazer cumprir as ordens estabelecidas no local. Sendo assim, interpretou que o segurança agiu em legítima defesa e determinou o arquivamento do processo, bem como, a restituição dos valores pagos a título de fiança.

Publicado na edição 1213 – 21/05/2020

Foto: divulgação

Sobre Redação

Redação

One comment

  1. Avatar

    Causou a morte de uma inocente que só estava ali perto fazendo seu trabalho por causa de usar uma máscara. Que vergonha, sr. empresário Danir Garbossa! Que tipo de adulto ridículo consegue ser responsável pelo fim de uma vida por um motivo tão mesquinho? Espero que nunca mais consiga dormir à noite pensando na sua irresponsabilidade! Ele deveria passar sua empresa adiante, pois se não consegue administrar suas próprias emoções e ações, imaginem como ele cuida da empresa e funcionários! Lamentável! O primeiro óbito que essa doença causa na minha querida cidade não foi devido ao vírus, mas devido à pura ignorância!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*