Depois do quase unânime descontentamento da população araucariense com a aprovação em primeira votação de um reajuste de 62% ao salário dos vereadores, O Popular entrou em contato com cada um dos edis para verificar se eventualmente pretendem mudar de opinião quando o projeto for colocado em pauta na próxima semana.

Isto porque, de acordo com a legislação vigente, o projeto para passar a valer precisa ser aprovado em duas votações. Logo, se a maioria dos edis mudar de opinião na próxima terça-feira, 10 de dezembro, e reprovar o reajuste, o salário dos edis permanece em R$ 5.992,00 para a legislatura 2021-2024.

Para que o reajuste seja reprovado é preciso que a maioria dos vereadores presentes em plenário vote contra a proposta. Ou seja, se os onze edis comparecerem, é preciso que, no mínimo, seis digam não ao aumento dos salários da próxima legislatura para R$ 9.584,45.

Em contato com a vereadora Lucia de Lima (MDB), que votou favorável ao reajuste em primeira, esta disse que ainda está pensando em como irá se posicionar durante a votação na próxima terça.  “Ainda não decidi, vou ver na hora da votação”, pontuou

Você, cidadão araucariense, pode entrar em contato com a vereadora em seu gabinete e expressar sua opinião sobre o tema. Os telefones para contato são 3641-5213 ou 3641-5214.

Sessão pública

O comparecimento à sessão plenária da próxima terça-feira, 10 de dezembro, também é permitido para qualquer cidadão. Os trabalhos começam às 9h. O plenário da Câmara fica na rua Irmão Elizabeth Werka, 55, no Fazenda Velha, bem na Praça da Bíblia

Em lugar entraria Lucia da Gazeta, esposa de Pedrinho