Home / Colunas / Isidorio Duppa / Morreu Tadeuz

Morreu Tadeuz


Moréu Tadeuz! Graças a Déus! Non, non sendo porque iéle estando sofrendo, sendo proque iéle que fazéndo tudo mundo sofrer. Iéu explicando, Tadeuz sempre sendo o maior encrenquero da roça, invejoso, passando tudo mundo pra traiz, devendo pra cidade intera e ainda andando de nariz empinado. Se tendo confusón, sempre Tadeuz estando no meio, sempre querendo ser mais que os outro, sempre complicando vida dos outro e armando arapuca pras pessoa de bem pra ganhar uns troco nas costa dos outro, pessoa deste jeiton no merecendo ficar na tera dos vivo e devendo ficar no inferno até quando o Demonho non aguentar mais. Pessoal no Iskapinski inté soltaron foguete quando notiça se achegando e Iskapinski dizendo que primera rodada de pinga sendo de graça e já foi alembrando história que Tadeuz uma veis pedido dinhero pra non fazer denunça na vigilânça Sanitória porque ovo cozido estando choco e Iskapinski dando dinhero todo méis pra evitar confuson, non porcausa do ovo, mais se vigilânça aparecendo podendo descobrir que os romolps non son de bagre e non de sardinha. Alexo também contando que quase perdendo propriedade porque Tadeuz pegando documento foi no banco dizendo que iéle que sendo o fiador de Tadeuz e tendo que pagar por quase deis ano. Emilio falando que as vaca dele tavon sumindo do pasto quando Tadeuz negociava com frigorifico e pra non ser acusado, pintava as vaca de preto e vendia, uma véis tava chovendo e vaca ficando branca de novo e pra non ser preso Tadeuz acusando as fábrica de jogar fumaça na atimosfera e virando chuva ácida, ainda ganhando uns troco de propina. Édio contando que Tadeuz acusando iéle de assédio moral proque quando estando jogando truco e Tadeuz trucando iéle alevantando pra seis e dizendo, seis milho papudo!! Tadeuz pegando testemunha e acusando de bulê proque iéle tinha dois caroço no papo e exijindo na justicia dinhero. Iéu se alembra da véis que iéle veio na festa com dois anonzinho e pagando tanta da cachaça que os anonzinho quase entraron em coma, depois foi acusando Igreja de vender bebida pra menor. Falaron que velório sendo na cidade e iéu enton foi dizendo que miór sendo nóis lotar um fusca e ir no enterô pra ajudar a caregar caxón proque achando que non tendo ninguém e que agora Tadeuz non vai mais fazer mal pra ninguém e merecendo uma consideraçón proque sendo personage do Livro do Isidório e virando história. Povo ficando comovido e fumo nuns quinze, dois fusca e um corcel, se acheguemo no cemitério, que acontecendo, fila pra entrar no velório. Preguntemo se sendo do Tadeuz mesmo, velho babudo da porta dizendo que tendo que pagar deizón pra entrar e mais deizón se quiser dar guspida no caxon. Paguemo os deizón pro velho barbudo pra entrar e quando se acheguemo perto do caxón, Desgracéra Mésmo!!! Caxón estando lacrado e mensage dizendo que sendo proque corpo pegando fogo. Voltemo pra casa pensando, Tadeuz nem indo pro inferno e já queimando na tera dos vivo, daí Iskapinski dando soco no balcon de reiva! E já foi dizendo que só agora reconhecendo a vóiz daquele velho barbudo, nóis pensemo e tudo mundo falemo junto: o Tadeuz!!! Desgracéra Mésmo!

Publicado na edição 1196 – 23/01/2020

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*