A partir de amanhã, o trânsito da Avenida Archelau de Almeida Torres volta a ter mão dupla em toda sua extensão. Até então, seu sentido era único (centro/bairro). A mudança atende a um pedido dos empresários que possuem comércios neste trecho e deve melhorar o movimento nas lojas, fomentando a economia local.

Embora, para alguns, a mudança na Archelau pareça simples de ser feita, ela é extremamente delicada, difícil de ser executada e, mais, assimilada pelas pessoas que, de uma maneira geral, buscam acesso à região Sul da cidade.

Justamente por isso, as próximas semanas prometem ser de muita reclamação. Isso porque o trânsito é um organismo vivo. De cara, a adoção da mão dupla impactará diretamente no movimento das ruas do entorno da Archelau. É bem provável que o tráfego na Miguel Bertolino Pizzatto diminua, o que pode gerar chiadeira nos comerciantes instalados ali. Em contrapartida, os moradores dessa via devem ter uma redução nos ruídos causados pela passagem de veículos.

Do mesmo modo, quem reside na rua Heitor Alves Guimarães terá sua via tomada por um mundaréu de ônibus, já que é por ali que eles acessarão a região Sul da cidade. Os moradores ainda terão que se adaptar ao novo sentido da rua, já que ele terá mão única. Os frequentadores do Parque Cachoeira perderão vagas de estacionamento, os alunos da Escola Archelau terão que redobrar a atenção ao cruzar a rua Ceará. Quem utiliza o Triar terá que recalcular seu itinerário. Alguns terão que sair mais cedo de casa para não perder o busão. Em compensação, outros ganharão mais alguns minutinhos em casa.

Por tudo isso, o pedido que fica é que todos tenham paciência, fiquem atentos as mudanças e procurem ver o lado bom de tudo isso. Qual lado bom? Bem, ela é fruto de uma reivindicação da comunidade, neste caso os comerciantes. Logo, não é possível culpar a Prefeitura caso tudo isso dê errado. Pensemos nisso e boa leitura.