Home / Notícias / Policial / Mulher chama a PM achando que era assalto, e acaba presa

Mulher chama a PM achando que era assalto, e acaba presa

Uma mulher se deu mal após acionar a Polícia Militar para atender um possível caso de roubo a residência, e ela mesma ter sido presa, por estar em dívida com a justiça. Isso mesmo! Na terça-feira, 23 de julho, ela ligou para a central da PM, alegando que estava ouvindo barulhos em seu terreno e que poderia haver pessoas tentando roubar sua casa, localizada na rua Joaquim Mello, bairro Thomaz Coelho. Os policiais chegaram no endereço, foram autorizados a fazer buscas no quintal e no interior da casa, não encontraram nada suspeito, e, como de praxe, solicitaram os documentos da mulher para registro no boletim de ocorrência.

Ela informou aos policiais que estava sem os documentos e ao ser indagada qual seria seu nome, passou uma identidade falsa aos policiais, tentando se passar pela irmã. Em consulta ao sistema da Secretaria Estadual de Segurança Pública, foi constatado que a foto apresentada pelo aplicativo não conferia com a pessoa em questão. A equipe então solicitou mais algumas informações da mulher, que não soube responder, Diante disso, ela foi questionada se tinha irmãs, e afirmou ter duas. Em nova consulta na SESP, desta vez pelo nome da mãe, os PMs descobriram se tratar de Greicy Kely Rodrigues Tomé e na confirmação se este seria seu verdadeiro nome, a mulher ficou bastante nervosa e precisou ser contida. O nervosismo foi porque, além de sua verdadeira identidade ter sido descoberta, o sistema revelou que contra Grecy havia um mandado de prisão em aberto, expedido pela 1ª Vara Criminal de Colombo, com validade até 23 de janeiro de 2025.

Greicy tentou reverter a situação em seu favor, contando que havia chamado a polícia por temer que pessoas estivessem querendo matar seu marido, que se encontra preso na Colônia Penal, pelo crime de homicídio. Disse ainda que teme pela vida dos dois filhos, de 3 e 4 anos. Greicy e os filhos foram conduzidos até a 2º Cia da Polícia Militar, onde uma conselheira tutelar foi chamada, e liberou as crianças aos cuidados de familiares. depois disso, Greicy foi levada para a Delegacia de Polícia para as medidas cabíveis.

Publicado na edição 1173 – 25/07/2019

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*