Não matar!


Este é um dos mandamentos da lei do Senhor. Trata-se, num primeiro momento, de uma disposição clara que não admite exceções e que condena qualquer tipo de homicídio. O homem não tem poder sobre a vida de outro, mesmo quando este é um criminoso. É comum ouvir as pessoas dizerem que já fizeram de tudo nesta vida, menos ter matado alguém. Claro, quando falam isso, se referem à morte física. Mas será que este mandamento se refere somente à destruição da vida física ou tem um significado bem mais profundo? Será que é suficiente para Jesus ‘não matar’ fisicamente?


Não, não é suficiente, responde Jesus. Há situações nas quais uma pessoa continua caminhando neste mundo, mas na verdade já foi morta, já foi eliminada. Se houvesse um Raio X capaz de mostrar o cemitério que criamos dentro do nosso coração, nós nos assustaríamos. As pessoas às quais juramos não mais dirigir a palavra, para nós são pessoas mortas; aqueles que julgamos e condenamos para sempre, é como se não mais existissem; aqueles que difamamos, aqueles nos quais provocamos a privação da alegria de viver, já morreram, embora ainda respirem.

Jesus ensina que o mandamento ‘não matar’ tem muitas implicações que vão além da agressão física. Quem usa palavras ofensivas, quem se deixa dominar pela ira, quem alimenta sentimentos de ódio e de vingança, já matou seu irmão. É por isso que Jesus adverte àquele que vai levar a oferta até o altar a voltar imediatamente para trás, se tiver alguma briga com o seu irmão. Só depois de ter ido ao seu encontro e ter feito com ele as pazes, pode então voltar e levar a sua oferta a Deus. Do contrário, esta oferta não terá nenhuma validade e poderá ser o pão da sua própria condenação.

Hoje a maldade está muito enraizada no coração humano. Aquele desejo de falar mal do outro, mesmo sem saber se aquilo é verdadeiro ou não. Assim também os fake news, tão na moda hoje, inventam histórias caluniosas, com o intuito de destruir o próximo. Existe uma verdadeira indústria da mentira, que vai passando nas redes sociais, divulgando fatos irreais e caluniosos, com o objetivo de demolir alguém, só porque ele não pensa do meu jeito, não é do meu partido, não é da minha religião, tem opção sexual diferente, não torce para o meu time ou então, tem ideias diferentes das minhas. Esta intolerância tão reinante no mundo atual mata pessoas através de notícias falsas, mentiras ou calúnias.

A língua, tantas vezes, é uma verdadeira causadora de mortes. Tem pessoas que se deliciam falando mal da vida dos outros, e têm um verdadeiro prazer de ver a sua ruína. Eu, pessoalmente, desfaço amizades no facebook, quando percebo que determinada pessoa age de modo maldoso e destruidor. Eu fiz o pacto com a vida, e não quero usar este instrumento das redes sociais, para ‘matar alguém’. As discussões que acontecem através das redes sociais, causam brigas tão fúteis e desnecessárias.

O mandamento ‘não matar’, como nós pudemos ver, vai muito além de uma agressão ou destruição física. Nós, como seguidores de Jesus, devemos ser neste mundo sinais do seu amor, construtores da paz, pontes que unem e não que dividem. ‘Não matar’ significa então desejar sempre e acima de tudo o bem do outro, querer a sua plena realização neste mundo. Através de palavras e gestos, sejamos semeadores da vida e da esperança.

Publicado na edição 1199 – 13/02/2020

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*