Início / Colunas / Notas Políticas / Notas Políticas – Edição 1171

Notas Políticas – Edição 1171


  • Articulações
    Como diz aquele ditado popular, a água começou a bater na bunda de muito partido político com representação em Araucária. Isto porque, ano que vem tem eleição e muitas dessas legendas passaram os últimos três anos só observando as coisas acontecerem. Isto fez com que não organizassem eventuais interessados em disputar o pleito de 2.020. Agora, desorganizados, o que não falta é gente prometendo a eventuais pré-candidatos a vereador coisas que não vão cumprir. Tudo para vinculá-los ao seu rebanho. A estratégia é mentir agora, seduzir o pobre incauto para “somarem” forças, e enrolá-los até pelo menos 4 de abril de 2020, prazo fatal de filiação para pré-candidatos. Depois, conta-se a verdade sobre as promessas que não serão cumpridas. Mas daí o sujeito, caso queira mesmo disputar o pleito, já não poderá mais mudar de partido e estará tudo resolvido.
  • Como será?
    Há grande expectativa com relação a eleição do ano que vem, principalmente com relação a formação de chapas de vereadores. Tudo por conta da impossibilidade de coligações. Assim, cada legenda terá que formar o seu próprio time para tentar alcançar o chamado quociente eleitoral e ter direito a uma cadeira na Câmara.
  • 17 candidatos
    Em Araucária, por exemplo, cada partido poderá lançar chapa com até 17 candidatos. Isto porque a legislação eleitoral diz que as chapas podem ter o número de cadeiras da Câmara mais 50%. Como temos 11 vagas (se isto não mudar, claro), a conta seria 11 mais 50%, o que daria 16,5. Neste caso, faz-se o arredondamento para cima, ficando 17 candidatos.
  • Mulheres
    Existe ainda outro agravante nessa conta. Acontece que a legislação eleitoral obriga que as chapas tenham, no mínimo, 30% de uma cota específica por sexo. Infelizmente, como se sabe, historicamente as legendas têm muita dificuldade em alcançar o número mínimo de mulheres. Logo, com menos mulheres na chapa, menos vagas disponíveis para homens.
  • Quociente
    É bom lembrar que nas eleições de 2016, o quociente eleitoral foi de 6.414 votos. Ou seja, este foi o número mágico que permitiu que o partido/coligação elegesse o primeiro vereador. Considerando este número para as eleições do ano que vem (muito embora ele deva subir), temos que uma chapa ideal (com 17 candidatos) precisará que seus candidatos façam, no mínimo, 378 votos cada para ter direito a uma cadeira. É claro que muitas vezes alguns candidatos fazem muito mais voto do que isso. Porém, na outra ponta, temos vários que fazem muito menos. Mas, enfim, esses dados todos são muito importantes porque mostram que líderes partidários e grupos políticos que não entendem um pouquinho que seja de matemática vão descobrir ano que vem (nas urnas) que também não entendem de política.
  • Quarta colocação
    O Governo Federal divulgou nas últimas semanas os dados referentes a geração de emprego no país no mês de maio. Feito com base nos números constantes do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), o levantamento mostrou que, no Paraná, o município de Araucária foi o quarto que mais gerou empregos no período.
  • 256
    Segundo o CAGED, em maio de 2019 o saldo de empregos gerados na cidade alcançou 256 postos de trabalho. A primeira colocação no Estado ficou com Curitiba (464 postos). Em segundo apareceu Pato Branco (428) e, em terceiro, Maringá (349). Para chegar a esses números, o CAGED sempre leva em conta o saldo de novos postos de trabalho gerados no período. Ou seja, pega-se o número de novas contratações e diminui-se o número de demissões no mês.
  • Abrigos
    A Prefeitura divulgou nos últimos dias o edital de licitação para aquisição de até 500 novos abrigos cobertos para passageiros que aguardam a chegada dos ônibus do transporte coletivo. O modelo é o mesmo instalado recentemente no Município. O certame tem data prevista de abertura para 31 de julho. Cada abrigo tem preço máximo de quase R$ 14 mil, sendo que o valor total da concorrência alcança R$ 6,7 milhões. O processo de compra está sendo feito na modalidade registro de preços. Ou seja, fixado o preço dos abrigos pelo ganhador da licitação, o Município só os adquire conforme sua necessidade.
  • Pela metade
    A Câmara concluiu a licitação para contratação da empresa que fornecerá e instalará as grades no entorno da pracinha que fica nos fundos do plenário da Casa. A obra estava orçada em R$ 99 mil e uns quebrados, mas acabou saindo por R$ 49.685,90. Quem executará o serviço é a REALFERMETAL – Serralheria e Esquadrilha Metálica LTDA. Os trabalhos começam nos próximos dias.
  • Lei Orgânica e Regimento Interno
    A direção da Câmara também iniciou nos últimos dias uma licitação para contratação de uma assessoria para auxiliá-la nos estudos de revisão e atualização da Lei Orgânica do Município e do Regimento Interno da Casa. Ambos os documentos estão desatualizados e conflituosos já há alguns anos e vivem gerando saias-justas por conta de sua interpretação. A escolha da empresa de consultoria se dará em 15 de julho e o Poder Legislativo está disposto a pagar até R$ 16.700,00 pelo trabalho.
  • Diretores
    Já está na Câmara de Vereadores o projeto de lei que regulamenta o processo de consulta pública para escolha dos diretores de escolas e cmeis municipais. Como se sabe, o mandato dos atuais diretores devia ter sido encerrado no ano passado, mas por conta da falta de concordância na aprovação do novo regramento, os mandatos acabaram sendo estendidos por mais um ano. Não havendo atropelos na tramitação da nova proposta, pode ser que a eleição aconteça em novembro deste ano.
  • Regras
    Pelo previsto no projeto de lei em tramitação agora pela Câmara, o processo eleitoral será iniciado sempre em novembro, o mandato terá duração de três anos, sendo permitida até uma candidatura à reeleição. Em unidades com até 500 alunos haverá eleição apenas para diretor. Aquelas que possuem entre 501 e 1000 alunos terá direito a um diretor e um diretor auxiliar. E naquelas com mais de 1.001 alunos a condução se dará por um diretor e dois diretores auxiliares.
  • Mais 32
    A Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) segue sua saga completar as equipes de atendimentos das unidades básicas de saúde. Nos últimos dias, por exemplo, tomaram posse 32 novos técnicos de enfermagem. Essas nomeações fazem parte de um total de 84 pessoas aprovadas no concurso público para o cargo.
  • Dois
    Da mesma forma, nos últimos dias, quase que por providência divina, dois médicos clínicos gerais aprovados em concurso público decidiram assumir suas vagas. Um foi lotado na unidade básica de do Costeira e a outra no Santa Mônica. Parece pouca coisa, mas conseguir fazer com que médicos se vinculem a cargo público atualmente é algo quase impossível e justamente por isso cada contratação precisa ser comemorada.

Texto: Waldiclei Barboza

Publicado na edição 1171 – 11/07/2019

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*