Home / Colunas / Notas Políticas / Notas Políticas – Edição 1192

Notas Políticas – Edição 1192


  • Renúncia

A vereadora Tatiana Nogueira (PSDB) pediu renúncia do cargo de relatora da Comissão de Inquérito que investiga eventuais irregularidades no contrato de gestão firmado entre a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA) e o INVISA para gerenciamento do Hospital Municipal de Araucária (HMA).

Recém-nascido

Tatiana optou por se afastar da relatoria porque não estaria conseguindo conciliar os trabalhos da CPI com os cuidados de seu filho. O pequeno nasceu há poucos meses e, como se sabe, criança recém-nascida dá trabalho. A vereadora, porém, permanece nos quadros da Comissão como membro.

  • Novo relator

Com a saída de Tatiana abriu-se espaço para nomeação de um novo relator. Dois vereadores teriam manifestado interesse: Alexandre Jacinto, o Xandão (PSL) e Fábio Alceu Fernandes (PSB). Este segundo, inclusive, chegou a renunciar ao cargo de vice-presidente da CPI para poder ocupar o posto que era da tucana.

  • Confusão

Para decidir quem seria o novo relator da CPI foi convocada uma sessão extraordinária entre os membros para a tarde desta terça-feira, 3 de dezembro. E o clima durante a reunião ficou tenso. Isto porque Xandão não teria se conformado com o fato de Fábio querer ficar com o posto de relator. Em determinado momento dos trabalhos, o edil chegou a sair da sala em que a discussão acontecia ameaçando abandonar a CPI.

  • Voltou

A saída de Xandão da sala gerou muita movimentação e um grupo teria ido ao seu encontro tentando convencê-lo a não abandonar a CPI. Mais calmo, o edil retornou ao recinto e, digamos assim, “para o bem de todos e felicidade geral da nação” decidiu permanecer na Comissão.

  • Na relatoria

Depois do forrobodó, Xandão conseguiu o que queria: o posto de relator. Isto porque, para evitar mais confusão, Fábio Alceu abriu mão de disputar o cargo.

  • Miojo

A permanência do ex-vereador Leandro Andrade Preto nos quadros do MDB durou menos tempo do que o levado para preparar um miojo. Exatamente: Leandro já deixou a legenda. Na semana passada ele informou que, a partir de agora, está filiado ao PTC. Mais do que isso, irá comandar a sigla em Araucária.

  • Ex-prefeito

Nanico, o PTC é um partido sem muita relevância no cenário nacional. Isto, obviamente, não quer dizer que não vá servir aos objetivos políticos de Leandro. O PTC, aliás, é a legenda que abriu o ex-prefeito Rui Sérgio Alves de Souza, atualmente preso, durante as eleições municipais de 2016.

  • Desligamento

Leandro, aliás, já adiantou que uma das condições que teria feito para assumir o comando do PTC seria o desligamento de Rui dos quadros da legenda.

  • Representação

Falando em Leandro, ele protocolou no início da manhã desta terça-feira (3) uma representação contra o prefeito Hissam Hussein Dehaini (Cidadania), pedindo que – ao final – o chefe do Executivo tivesse o mandato cassado.

  • Motivo?

De acordo com o ex-vereador o motivo para que Hissam tivesse o mandato que foi lhe concedido nas urnas ceifado seria o atraso no protocolo da proposta do Orçamento do Município para 2020. A lei diz que a Prefeitura precisa apresentar à Câmara a proposta orçamentária até o dia 31 de outubro e Hissam o fez “somente” em 1º de novembro. Um dia depois.

  • Não passou

Como prevê o confuso regimento interno da Câmara, a aceitação da representação contra Hissam foi analisada na sessão de terça mesmo, sendo que a maioria dos vereadores decidiu rejeitá-la. Com isso, o pedido de Leandro foi arquivado.

  • Menos um

Falando em sessão plenária, na desta terça-feira o vereador Elias Almeida (Cidadania) não compareceu. Segundo ele, problemas com a saúde de uma pessoa da família impediu que se fizesse presente.

  • Vai subir

Também na sessão desta semana a Câmara analisou o projeto de lei que fixa o valor do salário dos vereadores para a próxima legislatura. A proposta inicial, protocolada lá em junho, era a de reajustar os vencimentos para o máximo permitido pela legislação: 50% do que ganha um deputado estadual. Ou seja, algo em torno de R$ 13 mil. Porém, a absurda pedida foi repensada e a grande maioria dos edis optou por apresentar um substitutivo com um valor um pouco mais baixo: R$ 9.584,45. A proposta foi aprovada em primeira votação por 8 votos contra 1. Apenas Aparecido da Reciclagem (PDT) se manifestou contrário ao reajuste.

  • Segunda votação

Embora valha apenas para a próxima legislatura, o reajuste aprovado causou indignação nas redes sociais. Porém, como se sabe, revolucionário de Facebook não muda o mundo. Então, se você está se perguntando se existe alguma maneira dizer aos vereadores que não quer o reajuste, existe sim! O texto ainda precisa ser aprovado em segunda votação pela Câmara na próxima terça-feira, 10 de dezembro. A sessão começa às 9h e se a maioria dos edis recuar, o salário deles a partir da próxima legislatura não aumenta.

  • Caiu

R$ 31,6 milhões. Foi a quantia que entrou nos cofres municipais a título de cotas de ICMS ao longo do mês de novembro. O valor é praticamente R$ 5 milhões a menos do que Araucária recebeu no mesmo período do ano passado, quando recebemos do Governo do Estado R$ 36,1 milhões referentes a este tributo.

  • Licença

A Câmara aprovou um pedido do prefeito Hissam para se ausentar do país neste final de ano e início do próximo. O decreto legislativo compreende o período entre 10 de dezembro e 31 de janeiro. Obviamente, isto não quer dizer que ele ficará todo este período fora. De acordo com Hissam, ele pretende tirar uns dias de férias e viajar, mas ainda não sabe quando. Estaria procurando umas ofertas de passagens, já que neste período de verão tudo é muito caro. Então, para não ter que incomodar os vereadores durante o recesso legislativo, solicitou um prazo maior. Na prática, porém, deve ficar entre 10 e 15 dias fora.

  • Expectativa

A Prefeitura realiza no próximo dia 13 de dezembro a maior licitação de sua história: a de concessão dos serviços de transporte coletivo no Município pelos próximos dez anos. Pelo que apurou esta Coluna, várias empresas já manifestaram interesse na execução do serviço e os elogios ao edital têm sido constantes por privilegiar a qualidade do serviço e o direito à ampla concorrência.

  • Empregos

A licitação do novo TRIAR, diga-se de passagem, irá gerar quase 400 empregos diretos. Mais do que os cerca de 350 gerados pela atual concessão. A informação é importante porque alguns políticos de nossa cidade, sabe-se lá por quais motivos, têm tentado espalhar por aí que uma eventual substituição da concessionária que explora o transporte coletivo geraria desemprego. Uma idiotice sem tamanho. Afinal, o número de ônibus vai até aumentar e eles continuarão tendo que ser guiados por alguém, já que veículos autônomos ainda não são uma realidade em nossa cidade. E isto para ficarmos só no exemplo dos empregos de motoristas gerados. Ainda vai haver os de pessoal de apoio, controladores de acesso, mecânicos, serviços gerais e assim por diante.

  • De novo

O GAECO voltou a cumprir mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao ex-secretário de Urbanismo de Araucária, Reginaldo Cordeiro. As investigações, no entanto, não têm qualquer relação com o período em que ele trabalhou na Prefeitura local e sim ao tempo em que Reginaldo comandava a Secretaria de Urbanismo de Curitiba, entre os anos de 2013 e 2016. As acusações são de facilitar a concessão de alvarás para construção de algumas obras.

Texto: Waldiclei Barboza

Publicado na edição 1192 – 05/12/2019

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*