Home / Colunas / Notas Políticas / Notas Políticas – Edição 1203

Notas Políticas – Edição 1203


Polvorosa

A nova incursão do GAECO em Araucária deixou muita gente em polvorosa na cidade. A proximidade do período eleitoral, inclusive, já faz com que os “analistas políticos” de plantão façam suas apostas quanto ao eventual impacto dessa ação nas candidaturas que se desenham.

Mais pra frente

Qualquer análise sobre qual será esse impacto, no entanto, ainda é precipitada. Até porque uma busca e apreensão é sempre uma medida preliminar, que pode dar em tudo ou pode dar em nada.

Que quinta-feira

E não foi só a incursão do GAECO em Araucária que agitou a última quinta-feira, 5 de março. No mesmo dia, vejam só, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) julgou o mérito de dois habeas corpus em que vereadores afastados da cidade pediam para retornar aos postos. Em ambos, o pedido foi atendido. Com isso, Francisco Carlos Cabrini (PP) e Ben Hur Custódio de Oliveira (PL) retomaram suas cadeiras já na sessão plenária desta segunda-feira, 9 de março. Com isso, Xandão (PSL) e Germaninho (PL) tiveram que “dar tchau”.

Em breve

E na sexta-feira (6) a defesa do vereador Vanderlei Francisco de Oliveira (DEM) fez um pedido no mesmo habeas corpus de Cabrini pedindo que a extensão do direito de retornar à Casa também lhe fosse concedida. A decisão deve sair ao longo desta semana e a tendência é que ela seja deferida. Ou seja, já na semana que vem pode ser que haja mais uma substituição no plenário da Câmara: sai Aparecido Ramos (PDT) e entra Vanderlei Cabeleireiro.

Economia

Com o retorno dos vereadores titulares, a Câmara – pelo menos – vai economizar em pagamento de salários. Isso porque, como a medida que determinava o afastamento do edis era provisória, eles seguiam recebendo, assim como seu suplentes. Ou seja, pagava-se salário para Cabrini, Ben Hur, Xandão e Germaninho. Agora, esses dois últimos deixam de receber.

Discussão

O vereador Fábio Pedroso (PRP) estava exaltado durante a sessão desta segunda-feira, 9 de março. Inconformado com o modo como os trabalhos vinham sendo conduzidos pela presidente Amanda Nassar (PMN), ele decidiu abandonar o plenário. Antes, porém, criticou uma espécie de “falta de pulso” da presidente, que permitia que um presente ao plenário interrompesse a toda hora a fala dos edis.

Interrupções

Obviamente a forma como Fabio Pedroso se dirigiu a Amanda não foi adequada, até desrespeitosa. Porém, ele não deixa de ter razão em sua reclamação. Afinal, há situações que, presentes ao plenário ficam batendo boca com os edis, algo que não é permitido. Pelo menos se o regimento interno da Casa for respeitado.

Vaias, aplausos

É preciso pontuar também que, embora o regimento diga que o público que estiver em plenário não pode se pronunciar, é até aceitável manifestações como vaias e/ou aplausos ao que estiver sendo votado. Há sessões, no entanto, que alguns presentes literalmente constrangem os vereadores, querendo discutir interpretação de lei e coisas do gênero, situações que acabam por tumultuar os trabalhos.

Representação

Também nesta segunda-feira (9) a Câmara recepcionou uma representação contra o secretário de Governo, Genildo Carvalho. A motivação são os gastos que ele fez por meio de adiantamentos que recebeu para custeio de despesas de pronto pagamento. A decisão sobre qual fim a Câmara dará ao pedido será tomada na próxima segunda (16). Cada vereador terá que votar pelo recebimento ou arquivamento do pedido. Caso seja recebido, inicia-se uma espécie de investigação administrativa para verificar se o secretário cometeu alguma ilegalidade.

Mais mudanças

Com o troca-troca de vereadores, a composição dos membros da Comissão de Inquérito do HMA também teve que ser alterada. Com o adeus de Alexandre Jacinto, o Xandão, que era o relator dos trabalhos, o posto foi ocupado por Fábio Alceu (PSB). Já vaga que na CPI que era Xandão será preenchida por Celso Nicácio (PSL).

No PSD

A vice-prefeita Hilda Lukalski vai trocar de partido. Deixará o Cidadania e se filiará ao PSD, cujo comando da provisória em Araucária passou para as mãos de Tiego Marinho.

PROS sob nova direção

O diretório estadual do PROS decidiu entregar o comando do partido em Araucária a Jaime Brum. A alteração na provisória da legenda já foi comunicada à Justiça Eleitoral.

Com isso, caberá a Jaime organizar o partido para as eleições municipais deste ano. Além dele, também integram a provisória Carlos Ubaldino (vice-presidente), Nelson Dias (secretário geral), Edinilson Huttner (tesoureiro), Viviane Mazeppa (secretária da mulher) e Jorge Haiduk (tesoureiro).

De acordo com Jaime, o PROS caminhará em Araucária ao lado do PSL e trabalhará pela eleição do pré-candidato a prefeito, Gustavo Botogoski (PSL). Além disso, outro objetivo é formar uma chapa competitiva de candidatos a vereador. “Trabalharemos para ficarmos com pelo menos uma cadeira”, afirmou.

Ele ainda pontuou que a ideia do PROS é que não haja nenhum candidato a vereador que esteja na Câmara ou que já tenha ocupado uma cadeira

“Trabalharemos para levar alguém novo à Câmara de Vereadores. Por isso, quem quiser conhecer um pouco mais nosso projeto deve nos procurar o quanto antes. Estamos de portas abertas para aqueles moradores de Araucária que querem realmente fazer a diferença na política”, enfatizou.

Os interessados em conhecer melhor o PROS pode entrar em contato diretamente com Jaime. O telefone é o 99948-1404.

Foto: Everson Santos

Texto: Waldiclei Barboza

Publicado na edição 1203 – 12/03/2020

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*