Home / Colunas / Notas Políticas / Notas Políticas – Edição 1207

Notas Políticas – Edição 1207


Até os últimos segundos

O que não faltou na semana passada no meio político araucariense foi correria, negociação, promessas, juras de fidelidade, de que “somos um time” e assim por diante. Tudo para convencer esta ou aquela liderança política a fechar com determinada legenda e assim formar uma boa chapa de pré-candidatos a vereador nas eleições municipais deste ano. Isto porque, como se sabe, o prazo para que os interessados em disputar o pleito deste ano se acomodassem em algum partido se encerrou na sexta-feira, 3 de abril.

Depois do dia 14

Embora o prazo de filiação tenha se encerrado no final de semana, os partidos têm até o dia 14 deste mês para submeter a relação atualizada dessas listas ao sistema FILIA, da Justiça Eleitoral, em que ficam registrados o plantel de cada sigla. É só após essa data que a escalação completa de cada time, eventuais duplicidades de filiações e coisas do gênero se tornarão públicas.

Para o PSL

Das mudanças partidárias relevantes que vimos nesta janela partidária, destaque para a decisão da presidente da Câmara, Amanda Nassar de trocar o PMN pelo PSL. Embora essa questão partidária nunca tenha influenciado muito a atuação individual dos políticos locais, a ida de Amanda para o PSL merece destaque porque significa que ela não estará na base de apoio da provável candidatura à reeleição do prefeito Hissam Hussein Dehaini (Cidadania).

Chapa majoritária

Como se sabe, nestas eleições, o PSL deve lançar candidato próprio a prefeito. O nome escolhido até o momento para encabeçar a chapa majoritária é o de Gustavo Botogoski, advogado e engenheiro agrônomo que chegou a ser secretário de Agricultura de Hissam no início desta gestão. Ele, aliás, também foi o vice do próprio Hissam na eleição de 2016.

Quem mais?

Além de Amanda, que deve tentar uma reeleição, a chapa de candidatos a vereador do PSL deverá ter ainda Xandão, Jester Furtado, Maike do Guincho e Professor Renato. Isto para citar apenas alguns.

Cidadania

Como esperado, o Cidadania, que tem Hissam como pré-candidato a prefeito, é a chapa que reuniu mais pesos pesados da atual política local. A chapa de pré-candidatos a vereador ficou encorpada e dificilmente não será a que mais votos proporcionais fará em 4 de outubro.

Quem?

Além dos atuais vereadores Elias Almeida e Claudio Sarnik, o Cidadania recebeu ainda outros dois edis: Lucia de Lima e Ben Hur Custódio de Oliveira. Além deles, também se juntaram ao grupo Pedro Ferreira de Lima e Renaldo Rodrigues. Por lá também já estavam João Carlin e Monica Coser.

PSD

Outra chapa que ficou muito forte foi a do PSD. Lá se filiaram os vereadores Francisco Carlos Cabrini e Celso Nicácio. O time também foi reforçado com Irineu Cantador, o médico Dr. Claudio Bednarczuk, Wilmer Jacó. Marinalva Herrero e Idu Blaszczak.

PL

O Partido Liberal (PL) também formou uma chapa forte de pré-candidatos. Estão no time o vereador Fabio Pedroso, Germaninho, pastor Eduardo Castilho, Jenes Bueno, Veio do Monalisa e Clodoaldo Sizenando.

PSDB

Já a chapa de pré-candidatos a vereador do PSDB tem, entre outros nomes, Tatiana Nogueira, Nilton Campos, Ricardo Teixeira, Oilson Muller, Cazuza e Jeferson Ophis.

PTB

Já a chapa de pré-candidatos do PTB deve ter, só para citar alguns, Luiz Vicente Ozório (Ike), Altevir da Ambulância, Bossoni, João Vilmar, Claiton Russi e Zé Bombeiro.

Podemos

Por sua vez, no Podemos ficaram Eduardo Mello, Miltão do Guajuvira, Osvaldo Santana e Marcio Nogueira. Esses soldados, com certeza, devem integrar a chapa de candidatos a vereador da legenda.

Oposição

A propósito, esses três partidos, PSDB, PTB e Podemos, devem integrar a chapa majoritária que muito provavelmente terá como candidato a prefeito Albanor José Ferreira Gomes.

PDT

Vereador mais votado nas eleições de 2016, Fábio Alceu trocou o PSB pelo PDT. É pelo partido de Getúlio Vargas e Leonel Brizola, que ele deve tentar à reeleição. Na legenda também está o vereador Aparecido Ramos.

PROS

Liderado em Araucária por Jaime Brum, o PROS – garante – também terá uma chapa forte de postulantes a vereador. Segundo Jaime, o objetivo de não filiar à legenda pré-candidatos que estão ou já tiveram mandato foi cumprido.

Isac Fialla

Além dos candidatos a vereador, o PROS também filiou o empresário Isac Fialla, que já foi vice-prefeito de Araucária entre 2009-2012. Ele não deve ser candidato a vereador, porém uma participação numa chapa majoritária não estaria descartada. O PROS, como se sabe, vem trabalhando para se coligar ao PSL.

De olho

Os partidos citados nas notas acima acabaram sendo os que mais movimentações fizeram nesses últimos dias para atrair e espantar filiados, porém existem algumas outras legendas municipais com razoável história, mas que não “causaram” muito ao longo dessa última semana. É preciso então ir monitorando os próximos passos desses personagens no xadrez da política local. Não se sabe muito, por exemplo, se o papel que o MDB exercerá na eleição deste ano será de protagonista ou coadjuvante. O mesmo vale para o PV e o PT.

PTC

Outra chapa interessante que valerá a pena acompanhar será a formada pelo PTC. Na cidade, o partido é liderado atualmente por Leandro Alves Preto, que foi vereador em parte da atual legislatura.

Exonerada

Na tarde desta quarta-feira, 8 de abril, o prefeito Hissam Hussein Dehaini (Cidadania) decidiu exonerar a secretária de Assistência Social, Cristiane Inez Martins. Ainda não se sabe quem irá substituí-la. Hissam e Cristiane foram casados por muitos anos e têm quatro filhos, mas se divorciaram recentemente. O prefeito, inclusive, já até se casou novamente. A cerimônia no civil foi realizada nesta terça-feira (7).

Diretor geral

Enquanto uma nova pessoa não é alçada para ocupar o cargo de secretária, a pasta segue sendo gestada pelo diretor geral, Alex Silva.

Será?

A saída de Cristiane da administração um dia após o prefeito ter se casado novamente já fez com que muitas especulassem que ele pode nomear para o cargo de secretária de Assistência Social sua atual esposa, Aline de Deus Dehaini. Ao que se sabe, porém, Hissam não teria dado nenhum tipo de indício nesse sentido. Porém, como se sabe, política não é uma ciência exata, então vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos.

Texto: Waldiclei Barboza

Publicado na edição 1207 – 09/04/2020

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*