Compartilhe esta notícia

Em meio a tanta novidade neste ano, temos mais uma a destacar, a implantação do componente curricular Ensino Religioso na rede municipal de educação. Mas por que foi necessária essa implantação? Qual é a importância do Ensino Religioso e qual é sua trajetória na educação brasileira?

O Ensino Religioso é o único componente curricular garantido pela Constituição Federal, está presente nas diretrizes curriculares, na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, na Base Nacional Comum Curricular e agora em nosso Referencial Curricular Municipal.

O Ensino Religioso tem uma função social fundamental, a de preparar os estudantes para viver em uma sociedade plural, através da ética e do respeito. Convivemos com o diferente a todo momento, somos todos tão diferentes… somos diferentes na cor, nos sotaques, na composição de nossa família, no formato de nossos rostos, nos cabelos, nas escolhas que fazemos, nos modos de ser e agir, na religiosidade… e convivemos com essas diferenças a todo momento, na escola, em nossos trabalhos, com os nossos vizinhos, ao passear pelo centro, pela praça, etc.

Em nosso Município o Ensino Religioso difere do modelo confessional e catequético que muitos de nós tivemos enquanto estudantes. Portanto, exclui-se em todos os momentos a doutrinação ou qualquer tipo de catequização dos estudantes, pois, trataremos dos conhecimentos científicos e culturais acumulados ao longo da história.

A perspectiva do Ensino Religioso em nosso Município é de que nossos estudantes compreendam, valorizem, respeitem e saibam conviver com o diferente, que exerçam a cidadania incluindo o respeito ao direito do outro a seguir e expressar sua religiosidade.

As aulas de Ensino Religioso têm como objetivo a promoção dos direitos humanos, a favor dos princípios éticos que contribuam para o diálogo de paz, para o exercício do respeito, do pluralismo de ideias, para a construção de valores éticos e de cidadania.

Como escola temos a função social de preparar nossos estudantes para que construam uma sociedade mais justa e equitativa, que saibam se posicionar contra o bullying, o racismo e que valorizem a diversidade religiosa presente em todos os espaços sociais.

Somos todos diferentes e isso é o que nos torna um povo tão especial!

A etimologia da palavra religião, segundo o super dicionário da Língua Portuguesa de 1999, deriva do latim religione que significa o culto prestado à divindade; tudo o que é considerado como um dever sagrado. Segundo Marchon (1995, p. 04), a palavra “religião vem do latim religio e quer dizer o que liga” e destaca que cada religião apresenta o modo de aproximação de Deus.

No município, o documento Organização Curricular de Araucária insere o componente curricular o Ensino Religioso nas turmas dos anos iniciais, sendo que o objeto de estudo do componente é o “Sagrado”, possibilitando o estudo da manifestação da diversidade cultural e religiosa presentes como formas de religiosidade manifestada em diferentes contextos. (ARAUCÁRIA, 2019, p. 10 e 11). Desta forma, o objeto de estudo de Ensino Religioso é o Conhecimento Religioso produzido nas diferentes áreas do conhecimento científico, principalmente nas Ciências Humanas e Sociais, principalmente da(s) Ciência(s) da(s) Religião(ões), em diferentes tempos, culturas e sociedade – pois “cabe ao Ensino Religioso tratar os conhecimentos religiosos a partir de pressupostos éticos e científicos, sem privilégio de nenhuma crença ou convicção” (BRASIL, 2017, p. 436). Desta forma, cabe à escola usar os dias letivos para ensinar aos estudantes os conteúdos sobre os diversos campos do conhecimento.

As Unidades Temáticas deste componente curricular são: Identidades e Alteridades; Manifestações Religiosas; Crenças Religiosas; e Filosofias de Vida. Essas Unidades Temáticas precisam ser trabalhadas nas quatro matrizes religiosas que formam a religiosidade brasileira: Matriz Indígena; Matriz Africana; Matriz Ocidental; e Matriz Oriental. Essas quatro matrizes são essenciais para o desenvolvimento do encaminhamento pedagógico em sala de aula.

Visando cumprir com a objetividade proposta, a Secretaria Municipal de Educação de Araucária vem com muita cautela implementando este componente curricular, buscando parcerias para a realização das formações para os profissionais, bem como, realizando pesquisas e dando suporte aos professores que estão ministrando essas aulas, pois, por se tratar de uma novidade em nosso currículo, os profissionais precisam ser devidamente orientados e acompanhados.

Finalmente, pode-se indicar que são vistos muitos desafios a serem superados já neste momento de implementação do Ensino Religioso, dentre eles a formação continuada que atenda às expectativas do currículo, dos profissionais e da comunidade escolar, a organização, juntamente com o departamento de gestão de pessoas, para que não haja sobrecarga aos profissionais, e o desenvolvimento do engajamento e interesse dos estudantes e professores no desenvolvimento deste componente curricular novo e desafiador para a rede municipal de ensino de Araucária. Essa implantação apresenta-se ainda mais essencial, ao se deparar com a ampliação do debate com relação ao respeito à diversidade religiosa e reconhecimento da existência das diferentes matrizes religiosas que formam a religiosidade brasileira.

Autoras: Eliane Terezinha Buwai Krupa, Danuse de Porciúncula Araújo e Claudinéia Maria Vischi Avanzini

Publicado na edição 1227 – 27/08/2020

Compartilhe esta notícia
Fechar anúncio