Home / Notícias / Coronavírus / Novo exame para ajudar no diagnóstico começa a ser feito

Novo exame para ajudar no diagnóstico começa a ser feito


Um novo exame para testagem da Covid-19 será fornecido pela rede pública municipal de saúde. O município já adquiriu insumos para realização de 600 dosagens de dímero-D e passou a oferecer o exame pela rede pública, para ser aplicado nos casos graves da doença. O teste não consta na tabela do Sistema Único de Saúde, porém, como o Laboratório Municipal dispõe de equipamento de análise já utilizado para outros exames e que permite essa testagem, funcionários do Laboratório sugeriram incluir a opção, pela vantagem do custo-benefício proporcionado ao município.

“A inclusão do exame está sendo de grande valia considerando os efeitos que a pandemia tem trazido para a saúde pública. Além de outros diferenciais como a realização de tomografia nos pacientes, a dosagem do Dímero D auxilia muito no diagnóstico clínico dos casos atendidos pelo Centro Especial de Combate ao Coronavírus – CECC, dando subsídio para definição de prognóstico do paciente e necessidade de hospitalização”, exemplifica a coordenadora do Laboratório Municipal, a bioquímica Daniela Reggiani.

Se o exame for solicitado em caráter de urgência, pelo CECC, o resultado sai em no máximo 2 horas. A amostra utilizada é a convencional de sangue venoso, a mesma usada para outros exames. Para a implementação da técnica, o bioquímico hematologista da unidade, Samuel Comar, partilhou com a equipe conhecimentos adquiridos em outro local que trabalha, o Hospital de Clínicas da UFPR.

Dímero D e Covid-19

O dímero-D é utilizado na avaliação laboratorial de diversos quadros clínicos, dentre eles o tromboembolismo pulmonar, trombose venosa e sepse (infecção generalizada). O novo coronavírus (causador do Covid-19) pode ocasionar diversas complicações no decorrer da infecção, em especial anormalidades de coagulação que propiciam o desenvolvimento dos quadros graves de pneumonia. Estudos indicam que os níveis de dímero-D são maiores em pacientes não sobreviventes à infecção do Covid-19, por isso a importância do monitoramento. “Por meio da dosagem de D-Dímero pode-se fazer a estratificação de risco dos pacientes com COVID-19. Quanto mais elevados esses valores, há uma tendência para um risco maior de agravamento do quadro”, avalia Comar.

Texto: Maurenn Bernardo

Foto: divulgação

Publicado na edição 1219 – 02/07/2020

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*