Início / Colunas / Editorial / O pós-pandemia

O pós-pandemia


Desde que o mundo se viu engolido por uma pandemia que praticamente parou o planeta e fez com que bilhões de pessoas deixassem de levar uma vida, digamos assim, normal, temos ouvido falar muito em como será nosso dia a dia no pós-pandemia. Que mundo novo esse vírus nos deixará

Obviamente, boa parte dessas respostas ainda estão sendo construídas. Aprendemos diariamente algo novo sobre o pós-pandemia. Porém, dentre as poucas respostas que temos, é possível apontar com certo grau de certeza de que a pandemia já nos ensinou que usávamos pouco os recursos tecnológicos que tínhamos à disposição muito tempo antes do surgimento do novo coronavírus.

Em Araucária, por exemplo, temos visto que alguns setores da administração pública municipal podem aprender muito com a necessidade do distanciamento social, da quarentena propriamente dita. E tudo isso por meio de ferramentas de tecnologia da informação.

E isso só será possível porque, mesmo sem saber que a Covid-19 estava por chegar, quase que por um milagre divino, vimos a Prefeitura investindo em tecnologia da informação como nunca. Mais do que isso, investiu também em recursos humanos para operar esses sistemas. Até 2017, por exemplo, não havia nos quadros do município analista de sistemas e nem técnicos de informática. Algo absurdo. Da mesma forma, os sistemas de gestão pública eram ruins e os equipamentos de gerenciamento de dados do Município ultrapassados.

Hoje, porém, a realidade é outra. E é essa nova realidade que permitiu que a Prefeitura colocasse em trabalho remoto boa parte de seus funcionários nos períodos de suspensão do atendimento presencial. Se quisesse, inclusive, o Município poderia monitorar e cobrar até a produtividade desses colaboradores.

Obviamente, nem tudo são flores. É preciso urgentemente colocar essa série de ferramentas de acesso aos sistemas da Prefeitura a serviço da população. E, da mesma forma, ensinar os funcionários públicos a utilizar corretamente essas possibilidades, de modo a otimizar e eficientizar sua capacidade produtiva. Do contrário, não teremos aprendido nada com a pandemia. Pense nisso e boa leitura.

Publicado na edição 1222 – 23/07/2020

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*