Home / Colunas / Isidorio Duppa / O tarado

O tarado


Coréu notiça na roça que um destes tarado zibissionista anda escondido nos mato e aparecendo pras moça vistido com uma capa preta e quando moça passando iéle pulando na frete, abrindo capa e mostrando o dito cujo. Poblema sendo que o movimento de moça pelas estrada aumentando tanto que parecendo procissón das virge. Moçada no Iskapinski ficarón tudo preocupado, primero proque se tarado aparecendo pras muiér deles iélas podendo fazer comparaçón de tamanho e se as fia vendo podendo ficar interessada. Emilio veio dizendo que já fazendo denunça na delegacia proque sendo um desdentado ao pudor. Alexo com foice debaxo do braço foi falando que encontrando o tarado iéle cortando o dito cujo dele com foiçada. Stacho já querendo fazer caça ao tarado no mato reunindo os pai de famia pra fazer multirón. Iéu enton pensando, se povo querendo pegar o tarado tem que usar de estratégia, se iéle só aparecendo pras moça miór coisa que tem que fazer é se disfarçar de muiér e sair andando pelas estrada, cada um levando um apito e quando o primero que encontrar com tarado assopra apito e chama os otro. Rapaziada tudo bateron palma e combinemo pra se encontrar no fim das tarde disfarçado de muiér. Iéu nunca deu tanta rizada, pense nos bicho feio que apareceron, Compadre Ignácio parecendo muiér da vida com vestido floriado, com dois chuchu nos peito e cabelera de espiga de mio. Alexo com cara pintada de baton que dexando o bigode verméio, Emilio com lenço floriado na cabeça escondendo os bobi, com travessero na bunda e com saia pra cima dos joeio mostrando as perna peluda, Stacho com um terninho de malha que devendo ser da vó dele e uma peruca feita de barba de pau, Florindo com bermudinha de elanca e tomara-que-caia e umas fita de laço cor–de-rosa na cabeça. Iéu zoiando pra iéles ficando pensando na bestera que iéu dizendo, onde já se viu na vida um destes tarado se interessar em mostrar o dito cujo pras figura mais horríve do mundo, aquela tropa parecendo que fugiron do cemitério, se tarado se encontrando com um deles se suicidando de réiva. Mesmo ansim, pra non perder o preparo, saiéron um pra cada lado das estrada. Nois fiquemo no Iskapinski junto com mais uns déis pronto pra fazer coreria quando iscuitar apito. Passado duas hora e nada de apito, mais uma hora aquelas atrocidade começarón a voltar dizendo que non viron nada, quando de repente apito apitando, saiémo tudo corendo pra direçón que indo Florindo, corémo, corémo, corémo, perecendo largada de São Silvestre e despois da curva vimo Florindo sentadon na bera da estrada e preguntemo do tarado. Florindo enton foi dizendo que iéle encontrando com tarado fazéndo uma hora atrais, preguntemo enton porque non apitando na hora, Florindo dizendo que faltando fôlego, quando tarado abrindo capa e iéle zoiando o dito cujo, faltando ar e enton iéle pra salvar as moça da region negociando com tarado pra sumir da region que iéle mesmo podendo sirvir de satisfaçón do tarado. Preguntemo enton pra Florindo se tarado nunca mais vai voltar e Florindo deu piscada e saiéu mancando com cara de felicidade.

Publicado na edição 1183 – 03/10/2019

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*