Home / Colunas / Padre André Marmilicz / Os imprevistos da vida

Os imprevistos da vida

A vida é realmente uma grande aventura, cheia de surpresas agradáveis e desagradáveis. É impossível podermos prever o que poderá acontecer no dia de amanhã. Geralmente pensamos positivo e acreditamos que tudo vai dar certo e nada de grave ocorrerá, mas nem sempre é assim. Quantos imprevistos nos desferem verdadeiros golpes, e, por vezes, não sabemos como reagir e como nos comportarmos. A vida é encantadora e uma grande incógnita exatamente pelas ‘novidades’ que nos apronta, no bem ou no mal.


Diariamente somos bombardeados por notícias inesperadas, que nos fazem tantas vezes rever nossos conceitos e nosso jeito de viver. Uma mulher que recebe a notícia de que está grávida, com certeza, naturalmente viverá a experiência da alegria e do bem estar diante de uma novidade tão maravilhosa. Claro, há casos que a gravidez pode representar um desconforto, dependendo das circunstâncias. A morte repentina de um amigo ou de um familiar pode abalar o nosso comportamento, o nosso humor e levar um bom tempo para nos restabelecermos e retomarmos a vida com a sua devida normalidade. O ‘descanso’ de alguém que estava de cama há muito tempo, pode representar alívio para o paciente e para todos os familiares. A vida diariamente nos surpreende e pede de nós uma resposta, que nem sempre é tão fácil e clara de ser tomada de modo consciente em pouco tempo.

Vivemos uma situação totalmente inusitada e plenamente inesperada em nosso planeta terra, que está assolando todos os povos em todos os continentes. Quem poderia imaginar a alguns meses atrás que estaríamos diante de uma realidade tão dramática, tão caótica, provocada pelo coronavírus! A primeira reação, e eu diria que é um tanto natural, é de pânico. Mas ele não resolve e muito pelo contrário, acaba criando medo, confusão e geralmente não ajuda a tomar decisão consciente e racional. É preciso ter muita calma nesta hora e seguir as devidas orientações da saúde, para não entrarmos num caos, aparentemente sem saída.

Lendo a respeito de tantas epidemias que aconteceram em diversos períodos da humanidade, percebemos que elas tiveram um início, um meio e um fim. Tantas pessoas, diante dessa realidade catastrófica, pregam o fim dos tempos. Se fosse assim, o mundo já teria sucumbido diversas vezes ao longo da história. É um vírus passageiro, mas que requer muito cuidado, muita atenção e mudança de hábitos. Não podemos negar a seriedade e a gravidade deste vírus, mas sem pânico e sem doidices de final do mundo. Assim como tantos outros imprevistos em nossa vida, e, que pedem de nós uma nova postura, este também, vai exigir de nós uma mudança bastante radical em nosso comportamento diário.

A racionalidade sempre foi uma característica exclusiva do ser humano. Quando ele se deixa levar pelos instintos, apenas pelos sentimentos, poderá construir a sua própria ruína. Graças a Deus nós somos seres racionais, e, nestas horas, é preciso saber analisar, ponderar, refletir, sem se desesperar. O desespero nunca foi a melhor saída para nenhuma realidade imprevista. Pelo contrário, ele inibe e ofusca a melhor decisão a ser tomada. Afinal, os imprevistos fazem e sempre farão parte da nossa existência. Por vezes, estamos preparados, mas em outras circunstâncias, somos pegos de modo totalmente desprevenido. Muita calma, muito bom senso e muita prudência nesta hora. E que Deus, o Senhor da nossa existência, nos ilumine e nos guie neste momento tão conturbado e dramático do nosso planeta terra.

Publicado na edição 1204 – 19/03/2020

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*