Home / Notícias / Coronavírus / Pais estão aprovando o ensino remoto em escolas municipais

Pais estão aprovando o ensino remoto em escolas municipais


O ensino remoto adotado pelas escolas da rede municipal e CMEIs, devido ao estado de emergência em saúde provocado pelo coronavírus, está tendo uma boa aceitação por parte dos pais. Conforme a determinação da Secretaria Municipal de Educação (SMED), que começou a valer no dia 4 de maio, as unidades educacionais estão disponibilizando as atividades para os pais ou responsáveis legais, sob a orientação dos profissionais, de acordo com cronograma elaborado por cada instituição. As atividades são feitas por meio de livros didáticos, cadernos com atividades, estudos dirigidos ou roteiros, indicação de leituras, projetos, pesquisas e exercícios para realização nos materiais didáticos; publicação no Facebook das escolas e compartilhamento pela SMED; por meio de aplicativos como o Classroom, WhatsApp e outros; além da publicação no próprio site da SMED.

Joice Ramos da Silva tem um filho no 2º ano do Colégio Aleixo Grebos, na Vila Angélica, e achou a ideia do ensino remoto bem interessante. “Na sexta-feira passada criaram um grupo de whatsapp com os pais, e avisaram que teríamos que ir na escola nesta segunda-feira para retirar as atividades, e deram o prazo de 1º de junho para entrega das mesmas. As atividades vieram em folhas, cadernos e nos próprios livros, e foram separadas por dia, assim a criança cria uma rotina diária de estudos”, comentou. Joice destacou ainda o fato de a escola estar aberta para receber presencialmente os pais que tiverem dúvidas sobre as tarefas dos filhos. “Estamos nos sentindo bem amparados, eu e meu marido também temos ajudado bastante meu filho e é muito bom participar do seu aprendizado, de forma mais intensa”, reiterou.

A mãe Rose Cordeiro, que tem dois filhos matriculados na Escola Municipal Irmã Elizabeth Werka, no Centro, um menino no 8° ano e uma menina no 9º ano, concorda que nesse primeiro momento, tanto a escola, quanto alunos e pais, estão enfrentando dificuldades de adaptação. Segundo ela, a escola tem trabalhado com organização e está sempre à disposição quando os pais necessitam de qualquer ajuda, e isso é importante nessa hora. “Na minha opinião de mãe,

como sou leiga em relação a esse novo sistema de educação, acredito que poderiam ter começado mais devagar, com menos conteúdos, até que todos estivessem inseridos e em dia com o andamento das aulas. Mas como já disse, todos nós estamos nos adaptando, pra ver o que dá certo ou não, e o mais importante é que nossos filhos vão continuar estudando”, analisou.

Andrea Aparecida Valadares também tem uma filha matriculada no 9º ano da Escola Werka, e conta que no começo da pandemia ficou preocupada se a filha iria perder o ano, mas as atividades remotas vieram na hora certa. “Minha filha já não aguentava mais ficar sem as atividades cotidianas. A princípio ela teve algumas dificuldades por ser ensino à distância, algo novo, mas fomos nos adequando e já na segunda semana é como se ela estivesse na própria escola. Como mãe, percebo que está sendo produtivo, e a escola, tanto os diretores, pedagogas e professores, estão de parabéns pela forma como estão conduzindo tudo isso. A minha única observação é quanto as atividades que exigem cópias, impressões, que muitos não têm esse recurso em casa e precisam sair para obtê-las, sendo que precisamos respeitar a quarentena. No mais estou aprovando tudo”, elogiou.

Texto: Maurenn Bernardo

Foto: divulgação

Publicado na edição 1212 – 14/05/2020

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*