Empresário diz que recebeu por um serviço que não executou. Controladoria Geral do Município e MP irão apurar a denúncia

Uma reportagem veiculada no Paraná TV 2º edição da última quarta-feira, dia 11, caiu como uma bomba no município. Na matéria, que teve três minutos de duração, Fernando Villanueva, o Xirú, que tem uma empresa de sonorização e eventos, denunciou a existência de um esquema de fraudes na Prefeitura de Araucária. Segundo mostrou a reportagem, Xirú teria recebido da Prefeitura R$ 4.030,00 por um serviço que não realizou. Teoricamente, o valor teria sido pago para divulgar com carro de som a Caminhada da Mulher, que aconteceu no dia 10 de março.

Porém, o próprio Xirú disse que o serviço nunca foi executado. “A nossa empresa não prestou o serviço”, afirmou na matéria. Ainda segundo o Paraná TV, como a empresa de Xirú estaria irregular e não conseguia emitir as certidões negativas de INSS e FGTS, ele teria usado uma terceira empresa, a Borguhesan e Fagundes Ltda, que usa o nome comercial de Emporium Eventos, com sede em Curitiba, que emitiu a nota no valor do tal serviço não realizado, para poder receber o dinheiro. Depois que recebeu o dinheiro, a dona da empresa que emitiu a nota, Fabíula Fernandes, teria repassado o valor para Xiru.

Gravações
Para comprovar sua denúncia, Xirú gravou algumas conversas que teve com o secretário de Finanças, Cirilo Arcoverde e com o diretor geral da Secretaria de Governo, Eugênio Ophis Jr. Nas gravações mostradas na reportagem, Cirilo aparece ao telefone pedindo que o problema de Xirú seja resolvido.

Ainda segundo a matéria, o encarregado de “resolver” o caso seria o diretor geral Eugênio Ophis Júnior. Xirú também teria gravado uma ligação feita por Júnior na qual ele, segundo a reportagem, estaria orientando Xirú sobre como fazer o orçamento para justificar o pagamento pelos serviços de divulgação da Caminhada da Mulher.

Sindicância
Questionado por nossa reportagem, o prefeito Olizandro José Ferreira (PMDB) disse que determinou que a Controladoria Geral do Município abrisse um processo administrativo para investigar o caso. Isso foi feito na manhã de ontem, dia 12. “Vamos investigar o episódio, exigir que todos os envolvidos se manifestem e apurar de quem são as devidas responsabilidades”, garantiu o controlador geral do Município, Marco Aurélio Matos. O responsável pelas denúncias, Fernando Vilanueva, também denunciou o caso ao Ministério Público de Curitiba, num setor especial que apura crimes praticados por gestores públicos. O promotor que está apurando os fatos é Samir Barouki.

Denúncias têm cunho político, afirma Prefeitura

Para a Prefeitura de Araucária a denúncia feita pelo empresário Fernando Vilanueva, o Xirú, é de cunho exclusivamente político.

Entre os fatos apresentados pela assessoria da Prefeitura para justificar a acusação são os banners que aparecem dentro do ônibus de Xirú, mostrado na matéria. Acontece que os banners que aparecem na reportagem são do ex-prefeito, Albanor José Ferreira Gomes (PSDB), o Zezé, a quem muitos dentro da Prefeitura atribuíem o engendramento da matéria veiculada na RPC.

Ainda segundo consta na nota de esclarecimento emitida pela assessoria da Prefeitura, na administração de Zezé (2001-2004), a empresa de Xirú faturava – em média – R$ 38 mil por ano. Já nos dois anos da gestão da atual gestão este valor teria caído substancialmente.

Guerra declarada
A denúncia veiculada esta semana na RPC está sendo considerada o estopim do racha definitivo entre Zezé e Olizandro. Daqui em diante, comentam observadores da política local, o clima deverá ser de guerra, inclusive com a realização de uma devassa nas contas da Administração 2001-2004.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.