Home / Notícias / Política / Rombo nas contas da Prefeitura pode ser de R$ 100 milhões em 2015

Rombo nas contas da Prefeitura pode ser de R$ 100 milhões em 2015

Diretor geral da SMFI apresenta números em audiência na Câmara

Diretor geral da SMFI apresenta números em audiência na Câmara

Se o Município realizar todas as ações previstas no orçamento 2016 da Prefeitura e a arrecadação da cidade continuar se comportando da maneira como se comportou no primeiro quadrimestre o rombo nas contas públicas pode chegar a R$ 100 milhões em dezembro deste ano. É esse o cenário catastrófico pintado atualmente pelas secretarias de Planejamento e Finanças. A informação foi repassada durante a última audiência de prestação de contas, realizada no plenário da Câmara de Vereadores na quarta-feira, 25 de maio.

Segundo a Secretaria de Finanças, o cenário é este porque a cidade está recebendo menos di­nheiro do que havia sido previsto quando a lei orçamentária deste ano foi aprovada, em dezembro do ano passado. Entre as receitas que não estão tendo o desempenho esperado estão às transferências de cotas de ICMS, nossa principal fonte de recursos. Neste primeiro quadrimestre, por exemplo, o va­lor repassado foi 9,57% maior do que o mesmo período do ano passado. A Prefeitura traba­lhava com um incremento de 19%. Por sua vez, o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e o ISS caíram quando comparados aos quatro primeiros meses de 2015. Recursos como o IPTU e o Fundeb cresceram na casa dos 12%, um valor razoável, mas inferior ao ritmo em que cresceram as despesas da cidade.

Para enfrentar o cenário apocalíptico, a Prefeitura parece não ter muitos planos. As estratégias são as de sempre: torcer para que arrecadação melhore no segundo e terceiro quadrimestre de 2016. Além disso, nos próximos dias, o prefeito Olizandro José Ferreira (PMDB) deve editar um decreto determinando uma redução de despesas de 14% para fazer frente ao déficit financeiro avizinhado, mas não está muito claro ainda o que será cortado.

Responsabilidade

Como se não bastasse a falta de dinheiro, esse déficit milio­nário nas contas do Município pode comprometer ainda o nome do prefeito. Acontece que, por se tratar do último ano de adminis­tração, ele não pode deixar dívidas para o seu sucessor. Se isso acontecer, Olizandro pode responder por crime de responsabilidade.

Texto: Waldiclei Barboza / FOTO: Carlos Poly / SMCS

Sobre Redação

Redação

6 comments

  1. Avatar

    Como a própria manchete diz: “Pode ser”. Sem prejulgamento. Primeiro precisam-se apurar os números. Conclusões, só depois dessa ação.

  2. Avatar

    Que bonito, hein? Belo trabalho da SMFI!!! Parabéns!!!!

    • Avatar

      O SMFI no começo de 2013,mandato novo,voces nao tem a ideia do aumento da burocracia por parte deles.Qto papel a mais,qtas voltinhas o motorista tinha q fazer a mais.Depois nao adiantava mandar oficios para economizar papel,luz e computador porque quem estava gerando a burocracia extra eram eles

  3. Avatar

    Péssima gestão. Com a terceira a arrecadação do Estado. Com e porque isto ocorre?… Secretarias desnecessárias, cargos comissionados com valores grandiosos, com bastante funcionários efetivos, mas muitos sub utilizados, não exercendo suas funções a que foram contratados. Um gestor pessimista, que trabalha sempre sem planejamento e se aproveitando de crises externas que afetam todos os municípios, mas nenhum deles jogam de tal forma a usar situações diversas para justificar a péssima gestão.

  4. Avatar

    Pra contratar novos CCs tem recurso…

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*