Todos os dias, centenas de araucarienses estão sendo obrigados a conviver com a falta de água. Os rodízios que foram adotados pela Sanepar em função da estiagem, a mais severa dos últimos 50 anos, tem deixado muito consumidor na bronca. Se antes as pessoas lavavam roupas, calçadas, carro, com bastante frequência, agora precisam executar somente as atividades extremamente necessárias. E muitas reclamações acontecem nesse sentido, porque nem todos estão habituados a economizar água.

Segundo a Sanepar, Araucária tem três reservatórios, o do Costeira, Centro e Sabiá, que operam no limite das suas capacidades. Por isso, a recomendação é continuar economizando, porque o racionamento não tem data para acabar. Outro problema apontado por moradores é de que são sempre os mesmos bairros afetados pelo rodízio. Com relação a este tipo de reclamação, a empresa explica que o rodízio ocorre, considerando as possibilidades de manejo das estruturas disponíveis, procurando deixar locais que ficariam totalmente sem abastecimento, com a melhor condição possível. “Por exemplo, um bairro abastecido por um rio (manancial superficial) ou poço (manancial subterrâneo) que já não tem vazão suficiente para a captação de água, ficaria sem condições de abastecimento. Mas para que isso não ocorra, a Sanepar abre e fecha registros, de modo que as tubulações de outras regiões que recebem água de um manancial ainda possível de captação, possam enviar água para esse bairro. Isso explica porque em determinadas ocasiões, o rodízio acaba afetando o mesmo bairro, mais de uma vez”, esclarece a empresa.

A Sanepar lembrou ainda que há imóveis com caixa d’água, outros que ficam no final das redes e outros que tem imóvel com mais de um andar, e estes precisam de pressão interna maior, por isso, muitas vezes acabam ficando sem água. Comentou ainda que a intenção do rodízio é reduzir ao máximo o desconforto do cliente, e tentar evitar que falte água para todo mundo, o tempo todo. Reforçou mais uma vez a importância de ter uma caixa d’água, que garanta o consumo de toda a família, principalmente nos últimos meses, quando os cortes programados estão mais frequentes.

Nível das casas

Outra situação que tem sido criticada pelos consumidores é quando a falta de água atinge uma parte do bairro, e a outra parte desse mesmo bairro, continua sendo abastecida. Isso ocorre por conta das chamadas áreas de recalque e de gravidade.

Recalque é toda região que, geograficamente, fica a uma altitude acima do reservatório de água da Sanepar, necessitando portando, de bombeamento para que a água chegue até as residências. Já a gravidade, é a região que, geograficamente, fica a uma altitude abaixo do reservatório de água da Sanepar, necessitando apenas da gravidade para que a água chegue até as residências.

Texto: Maurenn Bernardo

Foto: Everson Santos

Publicado na edição 1213 – 21/05/2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.