Home / Colunas / Editorial / Sempre atentos

Sempre atentos


Houve tempos em que um veículo de comunicação dedicava quase a totalidade de seu tempo apenas para trazer novas informações para os seus leitores.

Para um jornal local, como é o caso de O Popular, essa tarefa é – inclusive – mais difícil até do que para a grande mídia. Isto porque, em cidades razoavelmente pequenas, as fontes nem sempre querem comentar os assuntos, os envolvidos nos fatos noticiados estão sempre muito próximos, o que gera olhos tortos, inimizades e assim por diante.

Apesar desses contratempos, bem informar nunca foi problema para O Popular, já que somos um veículo independente, respeitado por seus anunciantes, com grande número de assinantes e encontrado em mais de duas centenas de pontos de venda, com periodicidade, histórico de circulação que ultrapassa duas décadas e, principalmente, sempre comprometido com a cidade e suas causas.

Embora sigamos firmes e fortes na tarefa de fornecer novas informações aos leitores sobre a cidade em que eles vivem, estamos cada vez mais dedicado a uma tarefa ingrata: combater a desinformação. As malditas fakenews. Notícias falsas, aliás, que em Araucária, tem um componente extra: a maioria delas é distribuída não como fruto da ignorância das pessoas e sim intencionalmente.

Ou seja, espalha-se notícia falsa com interesse verdadeiro: confundir, gerar medo, causar embaraço, difamar, caluniar e assim por diante.
Em 2020, inclusive, devemos ver esse fenômeno num grau ainda mais elevado. Isto porque estamos em ano eleitoral e muitas vezes partes envolvidas neste processo utilizam deste tipo de expediente para gerar desgaste ao adversário.

O Popular, dentro de suas possibilidades, trabalhará incansavelmente para, sempre que a sombra da desinformação se formar, jogar a luz da verdade nela. É esta nossa missão. Porém, é preciso também que o leitor fique ainda mais atento. Desconfie sempre de notícias veiculadas por quem você nunca viu, por empresas que você não consegue consultar onde ela fica, qual seu CNPJ e, principalmente, jamais passe adiante uma informação que você não pode confirmar sua origem. Boa leitura!

Publicado na edição 1195 – 16/01/2020

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*