Home / Colunas / Isidorio Duppa / Sequestrado

Sequestrado


Quando iéu saiendo da Caxa Econômica, despois de pagar taxa do Incra, non deu nem tempo de zoiar pros lado da rua pra atravessar, me ponharon um saco preto na cabeça e me cutucaron debaxo da costela com um cano de fero, me caregaron pra drento de um altomove e iéu só iscuitando peneu cantando, sendo jogado de um lado pro outro do banco nas esquina. Iéu preguntando que acontecendo e iscuitando vois dizendo pra iéu calar boca que se ficar falando von furar iéu de bala. Iéu enton ficando de boca fechada e pensando, será que acontecendo um destes sequestro seco? Proque non podendo ser dos sequestro relampo proque non estando chovendo. Altomove enton pegando rodovia porque correndo a toda, despois entrando numa estrada de chon proque iscuitando pedra voando e buraqueira desgraçada, andemo uma meia hora umas trocentas curva finalmente altomove perdeu velocidade e feis curva pras dereita entrando numa propriedade, despois parando de veis. Abriron porta me arrancando do banco de trais em e levaron pra drento de uma casa, tiraron o saco da minha cabeça e me jogaron num quarto escuro com as janela pregada de tauba, bateron porta e me disseron que ficasse quieto que nada acontecendo com iéu. Desgracéra Mesmo!!! Iéu ficando pensando que iéles estando trocando as bola, em véis de sequestrar gente rica acabarón pegando iéu por engano. Dando uns quinze minuto entraron no quarto dois camarada com arma na mon e com joana d`arc na cabeça só aparecendo os zoio e iéu já foi dizendo que iéles pegaron pessoa erada, que iéu sendo polaco pobre da roça, que non tendo onde cair morto e que iéles podendo me soltar que iéu ficando de boca fechada como se nada acontecendo estando, enton um dos sujeito foi me falando que sabendo muito bem quem iéu sendo e que iéu sabendo muito bem o que iéles querendo e preguntaron que iéu tendo pra dar pra iéles. Desgracéra mesmo!!! Agora coisa complicando, iéstas história de dar pra iéles me alembrando aqueles troca-troca que nóis fazendo quando criança e acabando sentindo um friuzinho nos fundilho. Mas non podendo ser iésto, quem se interessando por um polaco véio e fidido que nem iéu. Enton foi dizendo pra iéles o que precisando que iéu vendo de possível sendo estar atendendo, nesta hora entrando outro encapuçado, só que mais gordo que os outro e se assentando numa cadera na minha frente e dizendo pra iéu que podendo contar história pra iéle. Desgracéra Mesmo, que história o desgraçado querendo saber? O Gordo enton falando pra iéu ir contando que quando se achegando na história que iéle querendo iéle soltando iéu. Iéu enton começando a contar as história da vida, desde quando sendo criança, despois quando indo pro quartel, despois de como vivendo na roça, despois de umas duas hora o gordo se alevantando e dizendo que iéu podendo ir embora. Me punharon o saco na cabeça e levaron pro altomóve e na estrada iéu preguntando pro motorista proque me pegaron desse jeito só pra iéu contar história, proque non pediron que iéu contando com maior prazer do mundo, e motorista dizendo que se non sendo desse jeito, non ia virar coluna do Isidório e nem ia sair no jornal.

Publicado na edição 1200 – 20/02/2020

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*