Compartilhe esta notícia

O assédio moral no trabalho é tema de discussão nos sindicatos municipais. Psicólogos e advogados debateram a temática com os servidores em seminário promovido pelo Sifar e Sismmar.

Durante e após a greve ocorreram várias denúncias sobre pressões exercidas pelas chefias para que os servidores não aderissem à greve.

Na iniciativa privada a pressão muitas vezes tem o objetivo de forçar o pedido de demissão dos trabalhadores. No serviço público, o assédio moral se apresenta de uma forma perversa. Algumas vezes pelo despreparo das chefias ou por mera perseguição de cunho político ou pessoal.

As chefias em alguns locais são indicadas por laços de amizade, parentesco familiar ou pelas relações político-eleitorais. Geralmente despreparadas e sem conhecimento para o exercício da função confiada, mas protegidas pelos relacionamentos que escoram a sua indicação, podem mostrar-se arbitrárias e desastrosas.

Algumas vezes o assédio moral pode ter origem em preconceitos enraizados na sociedade. Não é incomum a alta incidência de práticas assediadoras em mulheres, negros e negras ou em virtude de orientação sexual.

A prática de assédio moral no serviço público pode ter consequências muito graves, pois pode não só atingir o serviço, mas os usuários de forma indireta. Um professor submetido a assédio moral pode sofrer os impactos na sua saúde, que o afasta do trabalho ou reduz sua capacidade de realização, prejudicando com isso os estudantes.

As vítimas de assédio moral devem anotar todos os detalhes das reiteradas humilhações sofridas. Dar visibilidade às situações de assédio. Buscar ajuda dos colegas que testemunharam ou que já foram vitimas dessas agressões. Por fim, evitar tirar satisfações ou conversar com o assediador sem a presença de testemunha ou de representante sindical.

Buscar apoio no sindicato é fundamental. Mas o mais importante é a solidariedade e a união contra as práticas assediadoras das chefias de plantão. E caso testemunhe cena de humilhação no trabalho, seja solidário com seu colega. Ajude a revelar as relações autoritárias que alimentam o assédio moral, para não ser a próxima vítima.

Sismmar
Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Araucária

Compartilhe esta notícia
Fechar anúncio