O Município de Araucária tem na Pedagogia Histórico-Crítica a sua concepção teórica fundamental. O Sismmar busca a retomada dos estudos pelos profissionais da Educação do Município, numa proposta de formação em parceria com a Unioeste, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, que concentra esforços em difundir a teoria.

A grande procura no período de inscrições revelou a disposição de professores, pedagogos e demais trabalhadores, fator muito positivo que nos impulsionou a buscar mais formas de estreitar os vínculos entre nós e os nossos com os conceitos da PHC. Outros dois GEs (Grupos de estudos) estão funcionando no Sismmar: um sobre Feminismo Classista e outro sobre Trabalho e Educação. Em ambos, buscamos qualificar a nossa atuação.

Um marco na educação brasileira, e pouco conhecida no cotidiano escolar, a Pedagogia Histórico-Crítica tem como foco a transmissão de conteúdos científicos por parte da escola, sem ter na pura transmissão destes o seu foco. O acesso dos trabalhadores ao conhecimento social e científico se dá em paralelo com o pensamento sobre esses conteúdos, ampliando a leitura de mundo e possibilitando a transformação necessária da sociedade.

Na Pedagogia Histórico-Crítica a educação escolar é valorizada, tendo o papel de garantir os conteúdos que permitam aos alunos compreender e participar da sociedade de forma crítica, superando a visão de senso comum. A ideia é socializar o saber sistematizado historicamente e construído pelo homem. Nesse sentido, o papel da escola é propiciar as condições necessárias para a transmissão e a assimilação desse saber.

Para o autor da teoria, Dermeval Saviani: “Para que a PHC se desenvolva efetivamente é necessário um outro tipo de organização social e isso é difícil porque nesse caso a nossa sociedade é questionada, mas a ideia é assegurar aos alunos o domínio dos conhecimentos e conquistas humanas para que eles possam agir na sociedade de maneira diferente”. Porém, do uso do texto no documento oficial, à sua efetiva aplicação na prática realizada dentro das unidades educacionais, o caminho é longo e cheio de obstáculos, e, a teoria desvinculada da prática, é justamente uma das principais críticas de Saviani. Para essa efetivação, há que se superar o espontaneísmo e levar a cabo um trabalho intencional, planejado, organizado, contínuo e sistemático, tanto na escola como para além dela.

A importância de estudar a PHC se deve ao fato de ser a principal Teoria Pedagógica existente na atualidade no Brasil. Daí a necessidade de nos organizarmos e compreendermos seus pressupostos, fundamentos, sua teoria e, a partir disso, realizarmos uma prática / ação pedagógica adequada a ela. Afinal, não há prática consequente sem conhecimento apropriado.

 

Publicado na edição 1108 – 12/04/2018