Home / Colunas / Editorial / Tempo difíceis

Tempo difíceis


Levantamento divulgado esta semana pelo Instituto Datafolha mostra que os jornais impressos e os programas jornalísticos de televisão são os que detém a maior índice de credibilidade entre a população brasileira quando o assunto é confiabilidade da notícia.

O resultado é um alento em tempos como os que vivemos, de uma pandemia mundial, pois mostra que o trabalho que estamos fazendo encontra ressonância junto à população.

A imprensa séria, mais do que nunca, cumpre sua missão institucional: bem informar. Algo que é tão imprescindível quanto o combate correto ao coronavírus, já que – infelizmente – a proliferação de notícias falsas ou mesmo aquelas tratadas de maneira irresponsável se mostram tão perigosas quanto a própria contaminação pelo Covid-19.

E é justamente pela letalidade que uma notícia equivocada pode causar na vida de uma pessoa ou de um grupo delas que O Popular vem se desdobrando para levar informação precisa aos seus leitores sobre as ações de prevenção, contenção e enfrentamento ao coronavírus em Araucária.

E fazemos isso mesmo com as dificuldades extras que a chegada do Covid-19 causa também as empresas locais, principalmente aquelas de pequeno porte, como é O Popular. De uma hora para outra tivemos que rever nosso planejamento anual, colocar nossos funcionários em home office, reorganizar rotinas de trabalho e ver a receita diminuir, já que somos um jornal que vive essencialmente de anunciantes comerciais. Logo, se estes sofrem, sofremos juntos.

Mas, mesmo com todas as dificuldades, seguimos confiantes. Seguimos felizes por termos convicção de que estamos fazendo tudo o que é possível para que a comunidade araucariense esteja bem informada enquanto está dentro de casa seguindo a orientação das autoridades para adotar o isolamento social.

Seguimos otimistas também de que, passada essa tempestade, o que teremos é um arco-íris de boas oportunidades. Temos convicção também de que as dificuldades impostas agora farão com que sejamos pessoas melhores quando tudo isto acabar.

Pensemos todos nisso! Boa leitura e… fique em casa!

Publicado na edição 1205 – 26/03/2020

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*