Home / Notícias / Coronavírus / TJ nega pedido de habeas corpus de Danir Garbossa segue preso

TJ nega pedido de habeas corpus de Danir Garbossa segue preso

O empresário Danir Garbossa, que se envolveu em uma briga dentro do hipermercado Condor após se recusar a usar uma máscara, confusão que resultou na morte da fiscal de caixa Sandra Maria Aparecida Ribeiro, continua preso na Delegacia de Araucária. Na terça-feira, 5 de maio, ele teve o pedido de habeas corpus negado pelo desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) Clayton Camargo. Danir teve a prisão em flagrante decretada em 29 de abril, que posteriormente foi convertida em preventiva pela Juíza da Vara Criminal de Araucária, Débora Cassiano Redmond.

Ele é acusado pelos crimes de lesão corporal leve, injúria, dano qualificado pela violência ou grave ameaça a pessoa, infração de medida sanitária preventiva e contravenção de perturbação do trabalho ou sossego alheios. Com o indeferimento do pedido de habeas corpus, o empresário pode responder o processo preso durante a fase de instrução, a menos que a defesa entre com outro recurso.

Relembre o caso

No dia 28 de abril, Danir Garbossa se recusou a colocar uma máscara para entrar no Hipermercado Condor, no Centro, sendo que o acessório já era uma exigência do estabelecimento por conta da pandemia de coronavírus. Os funcionários tentaram oferecer uma máscara para ele, que não aceitou. Na sequência tentou entrar no mercado, foi abordado por um segurança e deu-lhe um soco no rosto.

Já no interior da loja, Danir foi abordado pelo segurança terceirizado da empresa Protege, mas partiu para cima dele, dando-lhe murros e tentando apanhar sua arma. Em meio a luta corporal que travava com Danir, o segurança teria disparado um primeiro tiro, que atingiu Sandra na região do pescoço. A fiscal de caixa morreu minutos depois. Em seguida, houve um segundo disparo, que pegou de raspão na região do tórax de Danir. Ele foi atendido em um hospital da capital, mas liberado no mesmo dia, onde desde então segue preso. O segurança envolvido na confusão pagou fiança e foi liberado no dia seguinte ao fato.

Foto: divulgação

Publicado na edição 1211 – 07/05/2020

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*