Segundo informa a Petrobras, 238 funcionários do seu quadro próprio que foram testados para Covid-19, tiveram resultados positivos. Desse total, mais da metade já teria se recuperado e voltado ao trabalho. Não informou, portanto, o total de casos positivos que atuam exclusivamente na refinaria em Araucária. A empresa alega que os casos teriam sido detectados durante uma testagem em massa de todos os colaboradores que apresentaram sintomas de coronavírus, assim como as pessoas que tiveram contato regular com os mesmos. Explicou ainda, que os casos confirmados estão sendo monitorados por equipes de saúde, permanecem em quarentena e só retornam ao trabalho quando são considerados recuperados.

A Petrobras também destacou que foi uma das primeiras empresas no país a tomar essa iniciativa de ampla testagem e que, ao todo, já realizou mais de 11 mil testes entre empregados próprios e funcionários de empresas contratadas. Além de testar todos os casos suspeitos com o exame padrão ouro (RT-PCR), a empresa afirma que realiza testes rápidos para triagem das equipes da refinaria da Repar. Ainda como medida de prevenção, a empresa adotou o teletrabalho para cerca de 30 mil trabalhadores (colaboradores que executam funções administrativas ou que estão no grupo de risco), a criação de um canal de atendimento 24 horas para que os empregados possam reportar sintomas e obter orientações pelas equipes de saúde da companhia, monitoramento contínuo de casos suspeitos e confirmados, redução do efetivo operacional a cerca de metade, além de diversas alterações na rotina das unidades para intensificar orientações, higienização e distanciamento entre as pessoas.

Sindicato contesta

Para o Sindipetro, os resultados de testes positivos de Covid-19 entre os trabalhadores da Repar indicam um grande risco de contaminação entre os demais. Por isso, o sindicato cobra um posicionamento mais rigoroso da empresa, já que no último dia 14 de maio, cerca de 90 trabalhadores fizeram o exame laboratorial para verificação de

presença do novo vírus (anticorpos anti_sars_covid2), e dois dias depois, vários deles receberam ligações do setor de saúde da Repar de que os resultados acusaram positivo. “A única medida que a empresa adotou foi o afastamento de sete dias para isolamento domiciliar, sem fornecer recomendações de conduta aos mesmos, para evitar novos contágios”, afirma o sindicato.

O Sindipetro diz ainda que foi procurado por alguns trabalhadores e estes teriam relatado que a empresa teria suspendido a testagem coletiva e alegado não existir mais exames disponíveis. Diante disso, o sindicato disse que enviou um segundo ofício à gerência geral da refinaria, no qual requisita, em caráter de urgência, informações e providências para garantir a segurança e proteção dos trabalhadores, já que o quadro é preocupante e representa risco de contaminação dos demais e seus familiares.

Texto: Maurenn Bernardo

Foto: Marco Charneski

Publicado na edição 1213 – 21/05/2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.