Início / Notícias / Geral / Transportec atrasa salários de funcionários e Araucária fica sem coleta de lixo

Transportec atrasa salários de funcionários e Araucária fica sem coleta de lixo


Foto: divulgação

 

Os problemas com a coleta de lixo em Araucária parecem não ter fim. Desde o final da tarde de ontem, 6 de março, a coleta está suspensa na cidade, dessa vez por conta do atraso nos salários dos funcionários da empresa Transportec Coleta e Remoção de Resíduos, responsável pela execução do serviço. A decisão de cruzar os braços foi tomada pelos trabalhadores durante assembleia. Segundo eles, a Transportec não pagou o vale alimentação e nem o salário de fevereiro, situação que já teria sido registrada no pagamento de janeiro.

“Hoje (7) de manhã tivemos uma nova assembleia na porta da empresa, conseguimos receber o vale alimentação, mas nada do pagamento, e eles dizem que não tem nem previsão. Por isso, o pessoal do turno do dia também decidiu parar. Eles pediram para retornarmos amanhã cedo, às 6h30, vamos ver como vai ficar”, disse um dos funcionários. Outro colega de trabalho comentou que a empresa estaria retirando os caminhões da garagem da sede em Araucária, e levando para a matriz, em Curitiba. “A gente viu eles retirando os caminhões daqui, não sei qual a ideia. O que sabemos é que não dá pra trabalhar sem salário, só vamos retornar quando nos pagarem”, denunciou.

O secretário municipal do Meio Ambiente, Victor Cantador, explicou que ainda ontem, por volta das 18h15, emitiu uma notificação para a empresa retomar os serviços, já que a cidade estava sem coleta de lixo, mas não houve resposta. “Para confirmar, ontem à noite percorremos a cidade e constatamos que os caminhões não rodaram. Hoje pela manhã, por volta das 9h30, fomos novamente até a empresa e participamos da assembléia junto ao sindicato da categoria e aos trabalhadores. Novamente notificamos a empresa para a retomada imediata dos serviços. Aguardamos uma resposta, mas enquanto isso, a secretaria está se mobilizando para não deixar a cidade sem o serviço”, esclareceu o secretário.

O diretor geral da SMMS, Bruno Tonel Otsuka, acrescentou que existe a possibilidade de uma rescisão contratual, processo que já está sendo analisado pelo Núcleo de Apoio Jurídico da Prefeitura. “Já fizemos um relatório técnico e fotográfico e registramos em ata, se for confirmada a rescisão, iremos chamar a empresa vencedora do certame do contrato emergencial que foi feito há 10 dias. Enquanto isso, aguardamos que a coleta seja retomada hoje à noite”.

Texto: Maurenn Bernardo

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*