Compartilhe esta notícia

Se não bastasse a peleja travada pelos moradores para conseguir asfalto na Travessa Alfredo Bastos, em um trecho de pouco mais de 100 metros, que ainda não veio, eles ainda convivem com a falta de educação de pessoas que estão jogando lixo em um pequeno terreno que fica na via. A travessa está localizada no centro, divide as ruas Brasil e Lourenço Jasiocha, e o local onde o lixão se formou fica atrás da Casa da Terra. Os vizinhos dizem que o lixo aumenta a cada dia e que já está atraindo insetos e outros bichos.

“Estamos esquecidos aqui, se olhassem para nós, se tivessem feito o asfalto, mas nem isso aconteceu. Pior que tivemos a promessa que o asfalto sairia, e até agora nada. O resultado está aí, devido ao estado de abandono, até num lixão a travessa vem se transformando”, criticou um morador. Outro vizinho disse que “ao invés de a Prefeitura melhorar as condições da via, piorou, porque não fez o que havia prometido”.

A Prefeitura explicou que em situações como esta, os moradores devem registrar a solicitação via Ouvidoria Geral (0800–643-1550 / [email protected]). Não há necessidade de saber de quem é o terreno, pois ao informar o endereço via Ouvidoria, a Prefeitura verificará de quem é a propriedade. Se for pública, entra na programação de serviços. Se for particular, o proprietário será notificado a executar a limpeza.

Destacou ainda que, se identificado, o responsável pelo descarte ilegal de lixo pode ser multado, já que se trata de crime ambiental. Por lei, o proprietário do terreno é responsável pela limpeza e cuidados com o local, mesmo que não seja ele que tenha jogado o lixo.

Texto: Maurenn Bernardo

Foto: divulgação

Publicado na edição 1227 – 27/08/2020

Compartilhe esta notícia
Fechar anúncio