Coisa anda féia, iéste méis non sobrando dinhero nem pra acertar as conta no caderninho do Armazém do Iskapinski, iéu andando com vergonha de tomar pinguinha e ponhar na conta. Iéu pensando que podendo se defazer de alguma coisa, vender e acertar as dívida. Fusca estando uns dois ano sem sair do puxadinho, despois iéu que só usando caroça mesmo, non vai fazer muita falta. Iéu foi dar olhada no fusca e coraçon apertando, as galinha continuon botando e chocando os ovo nos banco, galo inté impinando crista, como que iéu vai vender fusca se galo usando pra dar umas voltinha com as galinha? Pensando enton em vender pedaço de tereno, tem uma parte que tem banhado e um mato que iéu só usando pras necessidade, mais pensando, com iéstas lei que tem que levar vida intera esperando licensa pra desmate quem vai querer comprar e non usar? pelo menos tendo utilidade pros descarego intestinal. Iéu pensando vender uns porco e umas galinha, mais justamente agora que preço estando baxo e non dando ném pra tirar as despesa? Despois, até tirar a licensa sanatória pra comercializar os animal já corendo muito juro na conta. Iéu pensô, pensô, pensô, sabe de uma coisa? Iéu vai vender uma das vaca, afinal das conta leite fazendo mal pros colestérico e dando pedra no rim, enton, por uma queston de saúde a vaca sendo o melhor desinvestimento. Iéu pegando uma das vaca e passando corda no pescoço, foi no paiol de mio e rasgô uma caxa de papelon pra fazer anunço e com pedra de carvon iscrivinhô: “Vendo Vaca”, depindurô placa no lombo da vaca e foi puxando pela estrada desviando do Iskapinski de vergonha. Foi andando nas estrada e quando passando na frente do bar do Chico, que ficando perto do asfalto, uma rapaziada que estando sentadon nas mesa de fora me chamaron e preguntaron quanto iéu querendo na vaca. Iéu falô que quinhentos real. Enton iéles convidaron iéu pra sentar com iéles, tomar uma pinguinha de graça que iéles pagavon e despois conversavon sobre negócio, iéu enton amarô vaca no poste e sentô com os sujeito, veio uma pinga, veio outra e mais outra tudo de graça. Rapaziada davon risada, contavon piada de polaco e contavon história de quanta coisa que iéles já compraron conversando na mesa de bar. Veio mais uma pinga, e outra e mais outra. Despóis de umas duas hora conversando e iscuitando rapaziada contando vantage, um dos rapaiz vendo que iéu já estando meio torado, preguntô pra iéu o quanto mesmo iéu querendo pela vaca. Iéu enton falô pra rapaiz que non querendo mais vender a vaca e se alevantô e arancô placa da vaca. Moço ficô meio brabo e preguntô proque que ieú non querendo mais vender a vaca, bem, iéu respondeu que só querendo vender a vaca pra ter dinhero pra tomar umas pinga.

Publicado na edição 1134 – 11/10/18

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.