Home / Colunas / Delegado Recalcatti / Viabilizando a “Cidade da Polícia”

Viabilizando a “Cidade da Polícia”



O Paraná vai ganhar uma central – chamada de “Cidade da Polícia” – onde serão reunidos os serviços e comandos estratégicos das forças de segurança pública para a execução de um programa consistente de prevenção, vigilância e operações policiais. A obra está confirmada pelo governo do Estado como uma das prioridades na área de segurança pública dentro do Banco de Projetos, apresentado recentemente pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior em reunião com deputados e secretários de Estado.
Recebi a notícia com muita satisfação porque esta é uma das propostas que venho defendendo no meu mandato. É muito importante para a segurança pública criar um espaço para que ações permanentes e operações pontuais sejam devidamente planejadas e coordenadas, com uma gestão eficaz e resultados positivos. Em reunião na semana passada com o delegado geral da Polícia Civil, Silvio Rockembach, tive a informação de que, se viabilizados os recursos a “Cidade da Polícia” poderá ser entregue até 2022.

O projeto já tem local definido. A “Cidade da Polícia” será adaptada nas antigas instalações da fábrica da Ambev, que ocupa uma quadra inteira no bairro do Rebouças, em Curitiba. Desde o governo passado, apresentei diversos requerimentos solicitando providências para a realização de estudos de viabilidade da obra. No início do ano, apresentei-a ao governador quando lhe entreguei pessoalmente o documento “Que Polícia Você Quer para o Paraná”, contendo 31 sugestões para a segurança pública.

O documento foi elaborado como resultado de uma audiência pública, com representantes das Polícias e da sociedade organizada, realizada em 27 de novembro de 2018. Mas a ideia surgiu bem antes em conversas que tive com policiais que sempre reclamavam da falta de coordenação de ações entre as forças de segurança pública. Cheguei, então, à conclusão de que deveríamos reunir num único lugar setores da Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Estadual, Polícia Científica, Corpo de Bombeiros, entre outros, para otimizar os serviços e planos de ação conjunta.

CASA DE CUSTÓDIA

No Banco de Projetos, que contém obras consideradas estruturantes para o governo do Estado, também está a indicação de construção de um estabelecimento prisional para a custódia de integrantes das carreiras da segurança pública, outra proposta que venho defendendo há anos. É muito importante assegurar que policiais e outros servidores da segurança pública, que se encontrem em conflito com a Lei, sejam mantidos em uma unidade exclusiva, longe dos presos comuns.

Publicado na edição 1176 – 15/08/2019

Sobre Redação

Redação

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*