Visão 360


Um dos maiores desafios de um gestor público na atualidade é conseguir ter uma visão 360 graus da cidade que administra. Sim, visão 360. Ou seja, conseguir enxergar todos os lados das diversas situações que lhe são apresentadas para resolver diariamente.

Essa visão 360 é vital para o sucesso de uma gestão e, na administração pública, ela não pode ser obtida sem que o gestor tenha uma equipe qualificada e antenada com as demandas da cidade. Do mesmo modo, colaboram na obtenção de uma visão completa de como o gestor deve agir a sensibilidade e, no nosso caso, obrigatoriedade de ouvir órgãos e entidades que não de hoje estão presentes no dia a dia da administração pública.

Vejamos, por exemplo, decisões recentes que a Prefeitura anda tomando sem analisar completamente todos os aspectos da situação. A primeira delas é com relação à retirada de lombadas de várias vias da cidade. Eu, enquanto motorista, acho a ideia ótima. Eu, enquanto pedestre, tenho lá minhas ressalvas. Eu, enquanto morador de uma via que viu diversos acidentes acontecerem antes daquela lombada ser colocada em frente a minha casa, sou totalmente contra a retirada desses redutores de velocidade. O gestor, por sua vez, é, no mínimo, imprudente em tomar qualquer decisão a respeito da retirada ou não dessas lombadas sem ouvir todos esses personagens.

Seria ótimo termos uma cidade sem nenhuma lombada. Mas a pergunta que fica é: temos motoristas e pedestres educados o suficiente para isso? Neste momento, creio que a resposta para isso é uma só. Não! E como todos sabemos, o processo de educação no trânsito é algo lento. Uma solução, inclusive que está sendo aventada, é a substituição das lombadas físicas por eletrônicas. Ideia boa. Já passou da hora de Araucária ter esse tipo de equipamento de controle de velocidade. Mas, de novo, em se tratando de administração pública, se iniciássemos hoje um processo de licitação para escolha de uma empresa para gerenciar tais equipamentos, levaríamos frouxo, seis meses para vê-los em funcionamento. E estou sendo aqui bem otimista.

Ainda com relação a essas mudanças que a Prefeitura vem encampando temos a polêmica situação da mudança na Archelau de Almeida Torres, que originalmente tinha sentido duplo, que lá pelo idos de 2010 teve o sentido transformado em único e que, em 2013 ou 2014, atendendo a pedidos dos comerciantes ali instalados há décadas, voltou a ser uma via de ida e volta. A gestão atual quer restabelecer o sentido único da via, mas tomou tal iniciativa sem ouvir a comunidade, sem ouvir a Associação Comercial, sem ouvir absolutamente ninguém. Com base apenas na percepção mío­pe de meia dúzia de burocratas de uma secretaria de Urbanismo chefiada por alguém que nem de Araucária é. Ora, de novo, falta a quem comanda a cidade enxergá-la por todos os ângulos antes de tomar uma decisão que influencia a vida de milhares de pessoas, no sustento de centenas de famílias e assim por diante.

Uma cidade é um organismo vivo e uma simples lombada tirada, uma rua com seu sentido invertido. Enfim, qualquer mudança precisa ser cuidadosamente pensada. Do contrário, por melhor intenção que o gestor tenha, ele pode estar cometendo um grande erro!

Comentários são bem vindos em www.opopularpr.com.br. Até uma próxima!

4 comments

  1. Outro exemplo a ser acrescentado a essa lista é em relação ao HMa e outros serviços de saúde, o Gestor em momento algum se dignou de ouvir o Conselho Municipal de Saúde, antes da tomada de decisão de romper o contrato com a entidade que administra o hospital e deixou ocorrer alegações das mais variadas sobre a transferencia de pacientes para outra cidade, somente após a mobilização do Conselho ouve a retomada da continuação do contrato, pelo menos até o seu término em maio próximo.Ou seja corretíssimo o colunista nessa avaliação, prefeitos são eleitos para decidir conosco e não por nós.

  2. A questao da archelau o prefeito anterior que nao escutou a a maioria,escutou somente os comerciantes de la.Os comerciantes nem proporcionam estacionamentos para a gente dai como que querem fomentar seus estabelescimentos?Eles ocupam as poucas vagas que poderiamos usar fora que mao dupla assim nao da pra atravessar mais

  3. O atual prefeito tem muito que aprender sobre gestão pública. Se continuar assim será um desastre para a cidade. Precisa refletir melhor antes de tomar decisões equivocadas como o caso do HMA. Parabéns ao COMUSAR pelo posicionamento.

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios *

*