Compartilhe esta notícia
O voleibol de Araucária está em plena ascensão e vem conquistando títulos importantes. Foto: divulgação

O time SMEL Araucária/ASPMA/Berneck conquistou o título do Campeonato Paranaense Sub-19 após vencer a equipe do Medianeira por 3 sets a 1 (25/20, 25/17, 28/30 e 25/15) na quinta-feira, 12 de novembro. A partida, que aconteceu na cidade do adversário, começou equilibrada, com disputa ponto a ponto, mas no decorrer do jogo, o Araucária se sobressaiu, abrindo dois sets de vantagem. O Medianeira ainda tentou se recuperar, venceu o terceiro set, mas o Araucária virou de novo e acabou vencendo.

Para o técnico Everson Ribeiro, a equipe fez uma excelente competição, venceu todos os jogos, apesar de ter disputado com adversários do mesmo nível. “Mesmo com a vitória, digo aos meus atletas que não podemos nos acomodar, que sempre podemos melhorar ainda mais, que devemos nos desafiar, independente do adversário”, disse.

O time de Araucária também se destacou com quatro atletas que ficaram entre os melhores do campeonato. Melhor líbero: Jeferson Kevin, melhor levantador: Vinicius Antônio, melhor central 2: Luiz Henrique e melhor ponteiro 2: Caio Alexandre.

Superliga C

Na Superliga C, a equipe adulta da SMEL Araucária/ASPMA/Berneck ficou em 2º lugar e não conseguiu acesso à Série B. O time perdeu na estreia contra o Amavôlei Maringá por 3X0, venceu o Avojoi Joinville por 3X1, ganhou do Aprov Chapecó por 3X0 e do ADC Terra Firme também por 3X0, chegou a igualar em pontos com o Maringá, que também sofreu uma derrota, mas perdeu pelo saldo de sets.

Apesar do resultado, o técnico Everson Ribeiro disse que está esperançoso em levar o time para a Superliga B. Isso mesmo! A equipe ainda tem chances de se classificar, já que entrou com recurso no STJD – Superior Tribunal de Justiça Desportiva porque a equipe do Maringá, que ficou em 1º lugar, jogou com um atleta suspenso por doping. “O jogador teria que estar afastado desde 2018 até 2022, mas como foi uma suspensão feita pela Federação Internacional, não estava aparecendo no sistema brasileiro. Felizmente tivemos acesso a essa informação e recorremos no STJD, agora é só esperar a decisão”, comentou.

Texto: Maurenn Bernardo

Publicado na edição 1239 – 19/11/2020

Compartilhe esta notícia
Fechar anúncio